A tecnologia moderna torna possível analisar, calcular e de certa forma prever os ciclos solares com uma precisão muito maior. E o modelo apresentado por Vlentina Zharkova, professora na Universidade de Northumbira, no Reino Unido, prevê que a atividade solar vai diminuir cerca de 60% entre 2030 e 2040.

O estudo, publicado no site da Royal Astronomical Society, resulta da análise  das variações dos campos magnéticos do Sol, comparando o hemisfério norte com o hemisfério sul, entre 1976 e 2008. Com os dados recolhidos, foi possível criar um modelo acerca do comportamento do Sol que, segundo Valentina Zharkova, tem uma precisão de 97%.

A professora e a restante equipa de investigadores acreditam que a Terra poderá passar por uma "mini era glaciar" semelhante àquela que começou em 1645 e durou até 1715. A alteração das temperaturas teve consequências com bastante impacto, como o congelamento do rio Tamisa.

Não existem no entanto certezas de que esta previsão de redução da atividade solar pode realmente afetar a Terra. Um estudo publicado em junho na Nature também revelava que a atividade do Sol está a diminuir e que pode, de facto, ter alguma influência nas correntes atmosféricas, mas os investigadores descartaram na altura que tais efeitos pudessem alterar o curso previsto para as alterações climáticas.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.