As transferências podiam ser feitas através da plataforma Transfer, criada pela Liga Portugal e que contou com a parceria da Bitmaker Software e da Multicert, que forneceu certificação digital a todos os clubes de futebol da Primeira Liga e da Segunda Liga.

Dos 36 clubes que fazem parte das competições oficiais da Liga Portugal, 27 acederam à plataforma durante o período de transferências e foram criados um total de 187 processos na Transfer, refere-se numa nota enviada à imprensa.

Dos processos submetidos nesta plataforma, 64% foram novos contratos, onde se incluem as transferências, 15% foram de alterações ao plantel (inclusão ou exclusão de jogadores), 14% foram revogações de contrato, os restantes 7% dividiram-se por cedências, aditamentos, prorrogações e rescisões unilaterais de contrato.

Excluindo os processos trabalhados durante vários dias, o tempo médio de submissão de um processo foi de 45 minutos. O processo mais rápido a ser submetido demorou apenas dois minutos a ser concluído.

"A tendência é a digitalização dos processos e o futebol português deu, este ano, um importante passo na sua modernização", considera Miguel Faria, diretor de Tecnologia da Liga Portugal. "A plataforma Transfer é uma ferramenta fundamental para esse objetivo e acreditamos que, nas próximas janelas de transferências, o número de processos exclusivamente digitais venha a subir".

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.