A Comissão Europeia tem vindo a acompanhar o progresso digital dos Estados-Membros através dos relatórios do Índice de Digitalidade da Economia e da Sociedade (DESI, na sigla em inglês). Os mais recentes resultados já foram revelados e demonstram que os países deverão reunir esforços para preparar o lançamento de redes 5G comerciais, assim como melhorar as competências digitais dos cidadãos e trabalhar na transição dos negócios e do setor público para o mundo digital.

O DESI acompanha o progresso em cinco áreas principais: conectividade, competências digitais, uso da Internet e integração das tecnologias digitais em negócios e serviços públicos. Os dados dão a conhecer que a Finlândia, a Suécia, a Dinamarca e a Holanda são os países que lideram no que toca ao desempenho digital na Europa.

DESI 2020 | Comissão Europeia
créditos: Comissão Europeia

No que toca à conectividade, Bruxelas afirma que existem melhorias, porém, os Estados-Membros precisam de trabalhar mais para se adaptar às novas necessidades, em especial, relativamente à implementação do 5G. O DESI 2020 indica que apenas 17 países já atribuíram faixas de espetro para o serviço de redes móveis de quinta geração, com a Finlândia, a Alemanha, a Hungria e a Itália revelarem-se como os Estados-Membros mais preparados.

Recorde-se que a pandemia de COVID-19 levou ao adiamento das consultas do leilão de 5G em vários países europeus, incluindo em Portugal. Contudo, com a entrada do país em processo de desconfinamento, a Anacom revelou no início de junho os novos planos e procedimentos da consulta pública do projeto de regulamento do leilão para a atribuição de direitos de utilização de frequências para o 5G e restantes faixas relevantes.

70% dos portugueses que vivem em casa com crianças garantem ter competências digitais básicas
70% dos portugueses que vivem em casa com crianças garantem ter competências digitais básicas
Ver artigo

No contexto da pandemia, a área das competências digitais ganhou ainda mais importância, sendo crucial para poder aceder a informações e serviços online. No entanto, a Comissão Europeia detalha que 42% da população europeia ainda não tem competências básicas de literacia digital.

Apesar de a pandemia de COVID-19 ter causado um aumento significativo da utilização da Internet, Bruxelas explica que a tendência estava presente antes da crise ter começado. Ao todo, 85% dos europeus já usavam a Internet pelo menos uma vez por semana, com 60% das pessoas a realizarem videochamadas frequentemente. A utilização de serviços online também se popularizou, com 66% dos internautas europeus a visitarem serviços de homebanking e 77% a fazerem compras na web.

Os negócios estão a tornar-se cada vez mais digitais e, na União Europeia, 38,5% das grandes empresas já recorrem a serviços na Cloud e 32,7% afirmam que fazem análises de big data. Contudo, a vasta maioria das pequenas e médias empresas (PMEs) ainda não está no mesmo patamar. Por exemplo, apenas 17,5% das PMEs vende produtos e serviços através da Internet. Em contraste, a prática já é comum para 39% das grandes empresas na Europa.

A Comissão Europeia revela que há uma crescente tendência de digitalização dos serviços púbicos, em partícula, nas áreas do Governo e saúde. Ao todo, 67% dos internautas europeus já usam os canais online disponibilizados pelas administrações públicas dos seus países. Bruxelas detalha ainda que a Estónia, a Espanha, a Dinamarca, a Finlândia e a Letónia são os países que lideram a lista de Estados-Membros com um melhor desempenho na área.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.