A pandemia de COVID-19 está a ser um ponto de viragem para muitas áreas da sociedade e o mundo da cibersegurança não é uma exceção. À medida que os cibercriminosos continuam a aproveitar-se dos receios e ansiedades dos utilizadores em relação à crise de saúde pública e dos novos estilos de vida ainda mais digitais, para levar a cabo as suas intenções a S21Sec apresenta as suas principais previsões para o futuro da cibersegurança num mundo pós-COVID.

Além de detalharem o aumento das campanhas de phishing e malware que usam o nome e identidade de entidades ou autoridades de confiança, assim como do crescimento das operações na Dark Web relacionadas com a COVID-19, os investigadores da S21Sec explicam que a recessão pós-pandemia poderá ter graves consequências para o setor da cibersegurança.

Começou o mês da cibersegurança na Europa. Já agora, costuma pensar antes de clicar?
Começou o mês da cibersegurança na Europa. Já agora, costuma pensar antes de clicar?
Ver artigo

Há, por exemplo, uma possibilidade de os talentos da área da segurança informática serem recrutados por organizações maliciosas. Além disso, a recessão pode dar origem a um vasto número de situações em que os funcionários de empresas, que estão descontentes com o funcionamento da sua organização, poderão vender informações internas a atacantes.

Assim, para fazer face aos novos desafios trazidos pela pandemia, as empresas devem tornar a cibersegurança numa prioridade. A S21Sec recomenda que as organizações reforcem a comunicação com os seus colaboradores acerca dos procedimentos de segurança, assim como os canais pelos quais podem ser reportados incidentes.

As empresas devem manter-se mais atentas do que nunca, pois até mesmo um pequeno passo em falso pode colocar em risco toda a organização. Neste âmbito, os programas de consciencialização e treino assumem um papel importante, ajudando toda estrutura de colaboradores da empresa a manter-se a par das mais recentes ameaças.

A S21Sec afirma também que é necessário testar as competências dos colaboradores dos departamentos de cibersegurança de identificação e reação a ataques informáticos. Por exemplo, o desenvolvimento de programas de phishing ético poderá ser uma forma de as organizações avaliarem as suas próprias vulnerabilidades, sendo também uma oportunidade para demonstrar aos colaboradores o impacto que as mensagens fraudulentas podem ter.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.