O continente asiático está actualmente a produzir cerca de 43 por cento de todo o correio electrónico não solicitado que circula no mundo, segundo uma análise da empresa de segurança informática Sophos. A América do Norte surge na segunda posição, com 25,6 por cento, quando a Europa assume o terceiro lugar, colocando na Internet 25 por cento do spam existente.



Apesar dos recentes progressos na luta contra o correio electrónico não solicitado, os Estados Unidos continuam a ser o país que mais spam gera em todo o mundo (23,1%). A Sophos salienta contudo que os EUA estão no bom caminho, uma vez que conseguiram em apenas dois anos baixar para quase metade o volume mundial de spam que originavam.



Para a posição assumida pela Ásia, muito contribui a China, que actualmente produz 21,9 por cento das mensagens não solicitadas que circulam nas caixas de correio electrónico de todo o mundo, ocupando o segundo lugar da tabela por países. A Coreia do Sul completa o "pódio", com uma quota de 9,8 por cento.



Na quarta posição da tabela geral, a França é o país da Europa que mais spam põe a circular na Internet (4,3%). Polónia, Espanha e Alemanha surgem, nesta ordem logo a seguir. O Brasil, na oitava posição da tabela geral, assume a liderança no que diz respeito à América do Sul.


Notícias Relacionadas:

2005-05-16 - Campanha contra spam junta autoridades e ISPs de vários países

2005-03-28 - Aliança junta Estados Unidos e Grã-Bretanha no combate ao spam

2005-02-25 - União Europeia e Ásia juntam-se no combate ao spam

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.