Os mais recentes dados da Kaspersky revelam que, no primeiro semestre do ano, o número de ataques DDoS que afetam recursos educativos online aumentou no mínimo 350% por mês, quando comparado com o mês homólogo em 2019.

De acordo com Alexander Gutnikov, especialista em segurança da Kaspersky citado em comunicado, o aumento da popularidade dos recursos de aprendizagem à distância, associado à falta de preparação das instituições, “tornou o setor educativo num alvo ideal para ciberataques”.

Evolução do número de ataques DDoS no primeiro semestre de 2020
créditos: Kaspersky

No entanto, os ataques DDoS não foram as únicas ciberameaças que os estudantes e professores enfrentaram. Entre janeiro e junho, 168.550 utilizadores únicos da Kaspersky encontraram um crescente número de diferentes ameaças disfarçadas de populares plataformas de aprendizagem online ou aplicações de videoconferência, desde o Moodle ao Zoom, passando ainda pelo Google Meet ou Classroom. Em destaque estão ainda múltiplas de phishing e emails que exploravam as plataformas usadas para as aulas à distância.

O mundo do cibercrime não tira “férias”: Ataques DDoS registam subida de 217% face ao ano passado
O mundo do cibercrime não tira “férias”: Ataques DDoS registam subida de 217% face ao ano passado
Ver artigo

A Kaspersky tinha já dado a conhecer que, no segundo trimestre de 2020, foi registado um aumento de 217% no número de ataques DDoS detetados e bloqueados face ao mesmo período no ano passo. Os valores identificados entre abril e junho mantinham a tendência verificada nos primeiros três meses de 2020.

O número médio de ataques registados diariamente no segundo trimestre cresceu 30% face primeiro. O número máximo de ataques detetados num só dia foi de 300, enquanto que o recorde de ataques no primeiro trimestre se manteve nos 242.

Recorde-se que, em Portugal, os ataques DDoS também afetaram o funcionamento do Portal das Matrículas, levando o Governo a decidir pelas matrículas automáticas para a maioria dos alunos.

Ataque ao Portal das Matrículas não terá colocado em causa dados dos utilizadores
Ataque ao Portal das Matrículas não terá colocado em causa dados dos utilizadores
Ver artigo

O Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) confirmou o ataque decorrido entre as 20 e as 23 horas do dia 6 de julho, indicando que "foram identificados vários momentos com picos de cerca de 1 Gbps, que consequentemente tornaram o serviço indisponível".

O CNCS deu a conhecer que, na altura, não exista conhecimento nem suspeita de que poderia ter sido comprometida a integridade ou confidencialidade dos sistemas informáticos do Portal das Matrículas. Os hackers não terão conseguido aceder a dados dos utilizadores, das matrículas ou das escolas que tiverem sido registadas no sistema, contudo o incidente continuou a ser investigado, tendo em vista a origem dos ataques.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.