A British Phonographic Industry (BPI) anunciou ter chegado a acordo com 23 internautas britânicos que acusava da troca ilícita de música protegida por direitos de autor em serviços P2P, como o Grokster, iMesh, WinMx, BearShare e Kazaa.



Os visados desembolsaram em média 2.900 euros cada um, quando em alguns dos casos - dois, mais precisamente - o montante atingiu os 5.800 euros.



Segundo detalha a BPI num comunicado publicado a partir do seu site, a idade dos utilizadores com quem foram estabelecidos os acordos oscila entre os 22 e os 58 anos e o número de músicas trocadas vai desde as centenas até aos muitos milhares.



Alguns dos processados eram menores de idade e uma vez conhecida a acusação os seus pais mostraram-se consternados por descobrir que os seus filhos praticavam tais acções. "É muito provável que alguns dos titulares das contas - e observando os ficheiros que trocavam - tenham estabelecido o acordo em nome dos seus filhos", refere a BPI.



Embora sem revelar a identidade dos swappers, a BPI adiantou que entre o conjunto de visados se incluem pessoas de todo o tipo de forma de vida: desde os estudantes, ao director de empresa de tecnologias, passando por cargos de administração pública.



No comunicado é igualmente referido que a entidade solicitará à justiça britânica que obriguem os fornecedores de acesso à Internet a revelarem a identidade de mais 31 utilizadores das redes de troca de ficheiros online, tal como já aconteceu no passado mês de Outubro.



Notícias Relacionadas:

2004-10-15 - Justiça britânica obriga ISPs a identificarem swappers

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.