O jogo Ooblets está a ser desenvolvido pelo casal Rebecca Cordingley e Ben Wasser, e é uma aventura destinada aos jogadores casuais. O desenvolvimento do jogo tem sido alimentado sobretudo pelas doações de entusiastas que ficaram encantados com o conceito do jogo, ajudando monetariamente o estúdio através do Patreon. Ao todo, 1.230 pessoas doaram mensalmente quantias entre 1 dólares a 100 dólares.

O jogo chamou a atenção da Epic Games, criadora de Fortnite, e adquiriu os direitos exclusivos para o lançar na Epic Store, a loja concorrente ao Steam que tem revoltado os jogadores pela sua postura agressiva de angariação de exclusivos, num ecossistema que ainda está longe das expectativas propostas inicialmente. O acordo da Epic Store com os produtores de Ooblets dá a garantia de atingir os objetivos mínimos de vendas, para que este não se torne um eventual “falhanço comercial”. Para além do PC, o jogo está previsto sair na Xbox One, ainda sem data avançada.

tek ooblets

No entanto, segundo o Business Insider, assim que a notícia do negócio ficou pública, os produtores receberam ameaças e mensagens de ódio. “Procura suporte no Patreon e depois acabam na Epic” e “Divirtam-se com as três pessoas que vão jogar esta abominação de jogo”, foram algumas das mensagens que receberam no Twitter, sobretudo depois do pequeno estúdio ter redigido uma carta à comunidade a explicar as razões que levaram ao negócio, incluindo uma quantia em avançado para ajudar o desenvolvimento.

Os insultos escalaram quando o casal, que até então sempre interagiu com a comunidade, de forma cordial e repleta de humor, decidiram fazer piadas sobre a situação de desconforto que a Epic Store causa à comunidade. “Ao interagir diretamente com as pessoas, de forma enganada, pensei que poderia causar algum impacto nas suas opiniões e emoções, e diminuir um pouco as críticas das coisas principais que despoletaram os ataques. Fui estúpido em pensar dessa forma”, escreveu Ben Wasser numa mensagem no seu blog no Medium.

A partir daí as coisas escalaram, e as redes sociais dos produtores foram inundados por dezenas de milhares de mensagens racistas, tanto pelo Twitter, Reddit e Discord, com ameaças de violência para ambos produtores.

Este tipo de comportamento e boicote generalizado começou com a postura da Epic Store na aquisição agressiva de exclusivos de PC, roubando-os à sua rival Steam, como o caso do Metro Exodus e os mais recentes títulos do catálogo da Ubisoft.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.