A pedido do gabinete do Delai Lama, uma equipa de investigadores canadiana analisou os computadores da rede tibetana no exílio e identificou uma rede de espionagem electrónica que teria afectado 103 países, entre os quais se conta Portugal. De acordo com o relatório foram atingidos 1.295 computadores, 30% dos quais pertencem a alvos de alto valor.

A investigação do Information Warfare Monitor (IWM), que integra o SecDev Group e analistas do Centro de Estudos Internacionais Munk, da Universidade de Toronto, durou 10 meses e foi agora divulgada através do relatório "Tracking GhostNet: Investigating a Cyber Espionage Network".

Os computadores afectados por esta rede de espionagem pertenciam sobretudo a ministérios dos Negócios estrangeiros, embaixadas e outras pessoas e entidades que tinham ligação com o chefe espiritual do povo tibetano. Os investigadores admitem que esta rede GhostNet possa ter origem na China, segundo dados circunstanciais que apontam nessa direcção, mas são cautelosos não tirando nenhuma conclusão nesse sentido.

Terão sido infectados computadores dos ministérios do Bangladesh, Barbados, Brunei, Butão, Letónia, Indonésia, Irão e Filipinas. Entre os países com embaixadas comprometidas conta-se Portugal mas também a Alemanha, Chipre, Coreia do Sul, Índia, Paquistão, Roménia, Tailândia e Taiwan.

Recorde-se que tinha sido recentemente noticiado que o site da embaixada de Portugal em Nova Deli registara problemas com piratas informáticos, sendo temporariamente desactivado.

Uma apresentação em PowerPoint do relatório pode ser vista aqui

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.