Uma empresa de advogados decidiu avançar com um processo judicial contra a RIM. Na base da acção está o facto da fabricante do Blackberry ter falhado nos seus deveres de informação aos accionistas, defende a Holzer Holzer & Fistel à qual podem entretanto juntar-se mais accionistas da fabricante.



Na informação que foi prestando ao mercado ao longo dos últimos meses, a RIM não antecipou informação sobre os atrasos que acabaram por ocorrer no lançamento de produtos e não preveniu os accionistas para o facto desses atrasos poderem penalizar os resultados da fabricante, como acabou por acontecer.




“Especificamente, a companhia falhou ao não informar aos investidores que as limitações da sua tradicional linha de produtos e a incapacidade para introduzir novidades no mercado iriam ter um impacto negativo no negócio da empresa e nas suas margens”, detalha o documento legal.




No final de Abril a RIM lançou um alerta aos accionistas revendo em baixa as previsões de resultados, algo que a Holzer defende que a empresa podia ter feito ainda em Dezembro. A falta de capacidade da RIM para dar uma resposta eficaz à oferta de concorrentes com a Apple e a Google, com o Android, também é focada no processo, que sublinha a perda de quotas de mercado da RIM.


A empresa já reagiu às notícias que dão conta do processo e garante que irá defender-se “vigorosamente” das acusações, acrescentando que não reconhece mérito à acusação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.