O diretor executivo da Apple, Tim Cook, compareceu numa audiência no senado norte-americano para defender a empresa das acusações de evasão fiscal que a tecnológica tem recebido nos últimos dias, após a publicação de um relatório que mostra como as grandes empresas conseguem contornar o sistema fiscal norte-americano.

O CEO salientou que a Apple é uma das empresas que mais impostos paga nos EUA - em 2013 esse valor deve ser de sete mil milhões de dólares. "Pagamos todos os impostos que devemos. Pagamos cada dólar", referiu Tim Cook durante a audiência.

Mas o senador norte-americano Carl Levin relembrou que o valor podia ser muito mais elevado, cerca de nove mil milhões de dólares a mais, caso a empresa de Cupertino não usasse subsidiárias na Irlanda para pagar menos impostos na "casa-mãe".

Tanto os membros do senado, como os legisladores e entidades fiscais estão de acordo em dois aspetos: a Apple não está a infringir nenhuma lei mas está a aproveitar-se de um "bug" no sistema de impostos para rentabilizar ao máximo o negócio além-fronteiras.

Atualmente todas as receitas obtidas fora dos EUA e que sejam transferidas para a economia norte-americana estão sujeitas a taxas que podem chegar aos 35%, uma das maiores do mundo. A Apple e alguns membros do senado sugeriram a diminuição da taxa - o ZDNet fala numa redução até aos 30%. Caso os EUA definam uma nova "taxa razoável", como lhe chamou Tim Cook, existe a possibilidade de a Apple trazer mais algum capital para os EUA.

Um especialista em legislação da Escola de Direito de Harvard colocou ainda em cima da mesa o facto de as ações da Apple - e de outras empresas norte-americanas - colocarem em causa a confiança no sistema público norte-americano.

Os governantes e autoridades irlandesas também já descartaram responsabilidades a estratégia fiscal utilizada pela Apple e por outras empresas, para pagarem menos impostos. A Irlanda diz que não tem nenhuma taxa especial para a marca da maçã e que o baixo sistema de impostos do país é culpa dos esquemas de fiscalização usados noutras nações.

O uso de impostos baixos é uma estratégia económica que a Irlanda adotou na década de 1960 e que desde então tem atraído várias empresas. A título de exemplo, em 2012 a Apple pagou 1,9% de impostos dos 37 mil milhões de dólares que faturou no continente europeu, escreve a Reuters.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.