A Administração Central vai passar a trabalhar com um sistema financeiro comum. A SAP Portugal é o parceiro tecnológico do RIGORE, o projecto que ao longo dos último anos tem vindo a testar a implementação do POC-P em áreas particulares da AP.

Com esta plataforma, que deverá chegar aos 16 mil utilizadores, o Estado português ganha um sistema transversal a todos os ministérios e a SAP um dos maiores contratos de fornecimento de software que mantém em Portugal.

Racionalizar custos, obter maior fiabilidade das informações e um incremento de eficiência dos recursos humanos são as principais vantagens desta plataforma.

Segundo o Diário Económico, o contrato para a implementação do sistema económico-financeiro está avaliado em 3,77 milhões de euros e viu o parecer positivo final ser dado na semana passada pelo Tribunal de Contas.

Em declarações à mesma fonte, José Duarte, responsável europeu da empresa, informou que a plataforma "abrange as fases de planeamento, orçamento, execução e controlo da gestão financeira" e já está em funcionamento naquele tribunal desde o ano passado.

Agora, no âmbito do acordo, a mesma solução será alargada faseadamente ao longo dos próximos dois anos. Até final de 2008 chega a outros quatro organismos do Ministério das Finanças.

O processo de alargamento do projecto já estava previsto no concurso público internacional lançado pelo Instituto de Informática do Ministério das Finanças e a "SAP foi a única empresa consultada, já que é a detentora exclusiva dos direitos de propriedade destas licenças", afirmou fonte oficial do Ministério das Finanças ao Diário Económico.

Notícias Relacionadas:
2006-06-27 - Projecto RIGORE pretende chegar a 400 organismos nos próximos 3 anos

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.