Um grupo de dez diretores executivos de grandes empresas europeias relacionadas com a área da eletrónica reuniram-se para definir a estratégia que vai permitir à Europa assegurar a liderança no desenvolvimento do segmento. Até 2020 está previsto o investimento de cem mil milhões de euros na micro e nanoeletrónica.

Nos próximos seis anos um dos objetivos passa por dobrar a produção de componentes de eletrónica de tamanhos reduzidos. O investimento de cem mil milhões de euros prevê também a criação de 250 mil novos postos de trabalho diretos no território europeu.

Este valor vai ao encontro às expectativas da comissária para os assuntos digitais, Neelie Kroes, que esteve recentemente em Portugal. A vice-presidente da CE reforçou a ideia de que até 2020 vão ser criados cerca de um milhão de trabalhos relacionados com as novas tecnologias.

Além do fabrico, os europeus também querem ser líderes no design de novas arquiteturas que vão ser a base dos equipamentos de eletrónica do futuro. No final deste ano o Electronic Leaders Group (ELG) vai apresentar o plano que vai permitir atingir os objetivos propostos.

Nos próximos meses vão ser ouvidos vários representantes de empresas que usam semicondutores e outros elementos de eletrónica como "matéria-prima" nos seus negócios.

Nota de redação: corrigido o valor do investimento para cem mil milhões, por sugestão de um leitor


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.