A multinacional espanhola Gigas, especializada em serviços de cloud computing, anunciou a realização de um acordo vinculativo com a sociedade de investimento GAEA Inversión para a aquisição da ONI. A operadora de telecomunicações é uma das líderes no segmento empresarial em Portugal, como parte do Grupo Cabonitel. A Gigas passará a deter 100% do capital social da Oni, por um preço de transação definido em 40 milhões de euros no seu valor patrimonial.

A Gigas já está presente em Portugal desde 2019 através da aquisição realizada no ano passado da AHP (fornecedor de serviços cloud), cujas operações continuam a ser lideradas pelo administrador José Ferreira Cruz.

Segundo é referido no comunicado, a ONI vai terminar 2020 com receitas estimadas de 37,3 milhões de euros e um EBITDA normalizado de 7 milhões de euros, ou seja, com esta aquisição e a anunciada em setembro da operadora irlandesa Ignitar (2 milhões de euros de receitas e 700 mil euros de EBITDA), a Gigas irá atingir receitas proforma totais este ano de aproximadamente 50 milhões de euros e um EBITDA consolidado proforma ajustado (excluindo custos de M&A) de cerca de 10,2 milhões de euros.

Traçando um perfil à empresa, é referido que a ONI opera no fornecimento de serviços de telecomunicações, cloud e TI/Segurança a cerca de 1.100 grandes e médias empresas, oferece serviços de retalho de voz e dados para outras operadoras de telecomunicações. A empresa tem dois centros de dados próprios (Lisboa e Porto), redes de fibra metropolitanas em Portugal e uma rede de fibra que liga Madrid a Lisboa e Porto. Essa rede pretende favorecer a integração de serviços e operações com a Gigas na Península Ibérica. "A equipa da ONI é constituída por 165 pessoas altamente qualificadas", refere o comunicado.

É explicado que 62% do negócio será pago com ações da empresa recém-emitidas, sendo que a empresa de capital de risco GAEA/Inveready tornar-se-á na principal acionista da Gigas. Os restantes 38% serão pagos em dinheiro, através de dois aumentos de capital que vão ser submetidos à aprovação de uma Assembleia Geral Extraordinária convocada para o dia 17 de novembro.

Depois de concluir a operação e respetivo aumento de capital, a Gigas terá uma posição de tesouraria de 7 milhões de euros e uma dívida financeira líquida de 5 milhões de euros, prevendo o investimento em outras aquisições. Em Espanha visa a compra de uma carteira de clientes empresariais de telecomunicações.

O primeiro aumento de capital terá um valor de até 17 milhões de euros e destina-se a investidores estratégicos que proporcionem estabilidade a longo prazo. O segundo aumento é de 4 milhões de euros, direcionado aos atuais acionistas da empresa, retalhistas e instituições. Nos dois casos, cada ação terá um preço de 6,25 euros.

De acordo com Diego Cabezudo, CEO e cofundador da Gigas: “A compra da ONI é um marco a partir do qual iremos implementar a nossa estratégia como fornecedor de serviços de telecomunicações. Com esta aquisição, a Gigas passa a ser uma das maiores empresas de telecomunicações do setor empresarial da Península Ibérica, atuando como uma plataforma para um futuro crescimento orgânico e inorgânico”.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.