São 28 empresas chinesas que foram agora adicionadas à "lista negra" do Governo norte americano, incluindo oito empresas de tecnologia especializadas em videovigilância, reconhecimento facial e inteligência artificial. à semelhança do que aconteceu com a Huawei, estas empresas estão agora impedidas de comprar ou vender produtos e serviços a fornecedores norte americanos.

A justificação é agora a violação de direitos humanos, como indica um documento publicado pelo Departamento de Comércio e citado pela imprensa internacional, onde o governo diz que estas empresas desempenham um papel na "implementação da campanha de repressão da China, detenção arbitrária em massa e vigilância de alta tecnologia contra uigures, cazaques" e outros membros de grupos minoritários muçulmanos "na província de Xinjiang.

Entre as  empresas de tecnologia agora bloqueadas estão a Hangzhou Hikvision Digital Technology e a Zhejiang Dahua Technology, duas das maiores empresas de vigilância do mundo. Ambas as empresas possuem câmaras com recursos de reconhecimento facial.

Também empresas de Inteligência Artificial foram incluídas, como a IA ​​SenseTime Group - a startup de IA mais valiosa do mundo, segundo a Bloomberg - e a Megvii Technology Ltd., ambas ligadas à Alibaba. A Yitu Technologies é outra empresa de IA afetada pela mudança, juntamente com a fabricante de software de reconhecimento de voz iFlytek, a empresa de análise  de dados Xiamen Meiya Pico Information e a empresa de nanotecnologia Yixin Science and Technology Company.

À semelhança do que acontece com a Huawei, a inclusão nesta lista dificulta os negócios com empresas americanas, mas os fornecedores americanos podem pedir licenças especiais para continuar a negociar com estas companhias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.