Há empresas e vendedores a aproveitarem-se do imediatismo do Coronavírus e a promover “soluções” na Amazon cuja descrição de produto refere a “morte” do famoso vírus, que até quinta-feira tinha matado 2.130 pessoas e infetou 75.700. A plataforma de vendas digitais está a remover todos os produtos que fazem referência ao Coronavírus, sobretudo os que afirmam a cura ou a capacidade de matar o vírus, avança a CNBC.

A empresa de Jeff Besos está a avisar as empresas, que promovem estes produtos enganosos, de que os seus produtos vão ser retirados. A Amazon tem participado em encontros com a Organização Mundial de Saúde, o último em Menlo Park, no Facebook, para discutir a melhor forma de impedir práticas de desinformação nas suas plataformas e impedir que se fature à conta “da desgraça alheia”.

Há diferentes produtos colocados à venda na Amazon, desde livros sobre o Coronavírus, medicamentos de Vitamina C, sobre a ideia de que curam o vírus ou mesmo garrafões de desinfetante com propriedades que matam o mesmo, entre outros. Há produtos cujas discrições foram alteradas para ir na boleia da pesquisa dos utilizadores sobre o assunto, como simples máscaras de proteção de pó e para alergias, que destacava propriedades protetoras contra o vírus. As empresas foram avisadas que os produtos seriam removidos da loja se as descrições não fosse alteradas.

Na mensagem aos vendedores, todos os produtos que fizessem marketing em torno de benefícios médicos que não fossem previamente aprovados pela FDA (Food & Drug Administration) seriam retirados. A Amazon tem vindo a apertar o cerco aos vendedores de produtos contrafeitos ou que violem as suas políticas de vendas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.