A Inogate apresentou-se hoje ao mercado como a primeira empresa portuguesa 100 por cento dedicada ao aumento do desempenho inovador nas empresas. Fundada em Agosto do ano passado esta consultora de inovação empresarial tem a representação exclusiva para Portugal de um conjunto de ferramentas internacionais na área da inovação, que suportam as suas quatro áreas de actuação.



Os clientes já angariados (seis) concentram-se na optimização fiscal e financeira, uma área de actuação da Inogate que permite às empresas agilizarem processos relacionados com o acesso a incentivos e apoios fiscais para alavancar projectos de inovação.



A par com esta área, a Inogate oferece serviços na área da consolidação do processo de inovação, com o objectivo de alinhar processos de inovação, desde a gestão de ideias até à sua materialização em produtos. A exploração de oportunidades de inovação de elevado potencial e a optimização de processos físicos.



A primeira adequa-se a empresas já com uma posição consolidada em determinada área que identificam a necessidade de apostar em novos produtos ou novas áreas para conseguir manter níveis de crescimento. A segunda permite às empresas planearem determinada alteração no seu esquema de organização através da simulação de processos.



As quatro áreas são trabalhadas com software específico que permite a integração do work-flow (Accolade), a simulação gráfica (AnyLogic) ou o planeamento da produção e logística (PlanetTogether) e com metodologias internacionais (Kiel Model).



Com representação exclusiva destas ferramentas para a península ibérica a empresa planeia já no próximo ano iniciar o processo de internacionalização e disponibilizar os seu serviços também em Espanha.



Para ambos os mercados foram definidos como sectores alvo a alimentação e bebidas, telecomunicações, banca e seguros e moda em grandes empresas ou PMEs de rápido crescimento.



No ano passado a Inogate teve uma facturação de 400 mil euros. Para este ano prevê facturar 500 mil euros e em ano de cruzeiro aponta para uma facturação de um milhão de euros e uma média de seis projectos anuais.



Em conferência de imprensa Paulo Janeiro, CEO da empresa, garantiu que os serviços da Inogate estão ao alcance das empresas definidas como alvo, mesmo tendo em conta que o preço final de qualquer um deles depende do número de empregados e das licenças de software adquiridas para suporte. Paulo Janeiro diz que em média um projecto da Inogate tem uma duração de três meses de implementação e mais três de coaching e custa entre 250 e 300 mil euros.



Notícias Relacionadas:

2004-10-03 - eGovernment deve cumprir a promessa de catalisar inovação

2003-04-09 - Comissão Europeia divulga estudo sobre políticas de inovação

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.