A multa recorde de 497,196 milhões de euros imposta pela Comissão Europeia (CE) no passado mês de Março à norte-americana Microsoft por abuso de posição dominante já está paga, segundo informou ontem a porta-voz da área de concorrência do executivo comunitário, Amélia Torres. A gigante do software desembolsou o valor no Fortis Bank no dia 29 de Junho, data em que expirava o prazo para o cumprimento da sanção.



De qualquer modo, a soma paga permanecerá bloqueada em conta até que a justiça europeia resolva o litígio, uma vez que a Microsoft recorreu da decisão de Bruxelas perante o Tribunal Europeu de Primeira Instância.



A decisão de Março da CE obriga também a fabricante a comercializar por separado o sistema operativo Windows e o leitor multimédia Media Player, assim como a partilhar com as suas rivais o código fonte do Windows. Entretanto o executivo europeu suspendeu os prazos para a execução destas medidas à espera que o Tribunal de Primeira Instância se pronuncie sobre o apelo da Microsoft.



Recentemente, responsáveis pela área legal da empresa de Bill Gates vieram a público afirmar que necessitam de ser mais elucidados acerca da exigência imposta da comercialização separada do Media Player, nomeadamente saber quais os ficheiros da aplicação a remover do Windows de modo a melhor cumprir a imposição.



Enquanto aguarda pela resolução do caso na Europa - num processo que se poderá arrastar durante os próximos cinco anos, nos Estados Unidos a Microsoft mostrou-se ontem satisfeita com a "luz verde" dada ontem por um tribunal federal de apelo de Washington ao acordo estabelecido com o departamento de justiça norte-americano, em Novembro de 2002.



A decisão supõe uma importante vitória para Microsoft e deita por terra as objecções apresentadas pelo estado norte-americano de Massachussets e pela Computer & Communications Industry Association (CCIA). Num comunicado disponibilizado a partir do seu site, esta última diz-se desapontada, mas não surpreendida com esta decisão acerca de um acordo que "continua a ser um fracasso e não serviu o interesse público".



Notícias Relacionadas:

2004-06-28 - Microsoft consegue suspensão temporária de sanções da Comissão Europeia

2004-06-25 - Microsoft apela a Tribunal Europeu tentando suspender as sanções impostas pela UE

2004-03-24 - Comissão Europeia multa Microsoft em 497 milhões de euros

2002-11-04 - Juíza aprova acordo estabelecido com a Microsoft

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.