O Ministério da Economia e Inovação arrancou ontem com o primeiro de um conjunto de conferências/debates sobre o Plano Tecnológico. O objectivo dos encontros é reunir personalidades para discutir temas nesta matéria. O primeiro dos encontros foi subordinado ao tema Empreendedorismo e Inovação: Instrumentos de Riqueza.



Convidado a participar no encontro, Guillermo de la Dehesa do Centre for Economic Policy Research em Londres traçou as principais diferenças entre União Europeia e Estados Unidos que contribuem para diferentes níveis de produtividade e inovação nas duas regiões económicas.



O especialista sublinhou uma maior utilização do trabalho (em horas) nos Estados Unidos como um dos principais factores para uma maior produtividade e uma renda média por habitante cerca de 30 por cento acima da verificada na UE.



Guillermo de la Dehesa referiu ainda aspectos como a existência de um mercado único (na moeda e na língua), a capacidade de transferir rapidamente o conhecimento da esfera militar (onde nasceram muitos eventos cruciais para o desenvolvimento da economia dos EUA) para as empresas, a existência de um sistema de protecção de propriedade intelectual mais eficaz ou o maior nível de investimentos em R&D como elementos que beneficiam os Estados Unidos numa comparação com a Europa.



Relacionado com este último aspecto está o facto de nos Estados Unidos 15 por cento de toda a produção industrial estar ligada à tecnologia, quando na Europa essa percentagem se reduz para os 6 por cento, de acordo com dados da OCDE.



A menor aposta nas áreas da investigação na Europa contribui ainda para uma deslocalização do conhecimento e dos recursos especializados. Actualmente existem 45 investigadores europeus a trabalhar nos Estados Unidos, sublinhou o responsável.



Guillermo de la Dehesa apontou ainda a menor regulamentação do mercado americano e o desenvolvimento avançado do mercado de capital de risco como aspectos fundamentais para promover a inovação nos Estados Unidos.



No mesmo encontro participaram ainda Rui Guimarães, da COTEC, Armindo Monteiro, presidente da ANJE e Stefan Meisiek, Professor de Empreendedorismo da Universidade Nova de Lisboa



Manuel Pinho encerrou o encontro relembrando que o Plano Tecnológico é uma peça central na estratégia do Governo e referindo que neste plano cabem um conjunto de medidas transversais, algumas delas já postas em marcha, como o ensino do inglês no primeiro ciclo, a criação de empresas na hora ou a reformulação do PRIME.



O Ministro da Economia acrescentou que entre as prioridades do Governo para o futuro, nesta matéria, estão tornar possível o licenciamento na hora e a extinção de empresas na hora.


Notícias Relacionadas:

2005-05-31 - Primeiras medidas concretas para o Plano Tecnológico serão apresentadas no Outono


2005-04-21 - Conselho de Ministros aprova regime para Unidade de Coordenação do Plano Tecnológico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.