O crescimento da Netflix ao longo dos anos tem mudado alguns paradigmas no que diz respeito à forma de consumo de séries televisivas, mas também filmes de longa-metragem. As inscrições para as diferentes categorias dos Óscares foram sempre vistas de soslaio pelos lobistas de Hollywood, com a plataforma de streaming a ser considerado como que um “outsider” pelo poder cinematográfico norte-americano.

O trabalho da Netflix foi reconhecido e aceite na MPAA (Motion Picture Association of America), o grupo mais poderoso de Hollywood, que abre portas pela primeira vez, nos seus 97 anos de existência, a um membro baseado em tecnologia de streaming, como adianta o The Hollywood Reporter. A Netflix torna-se assim o sétimo membro do grupo restrito de “superpotências” de Hollywood, que incluem a Paramount Pictures, a Warner Bros., Sony Pictures, 20th Century Fox, Universal Studios e Walt Disney Studios.

De notar que a entrada da Netflix para a MPAA obrigou-a a mudar de “clube” no que diz respeito à defesa dos direitos de copyright. No início do mês, a plataforma de streaming abandonou formalmente a IA (Internet Association) que se opunha às restritas proteções de copyright que a MPAA defendia, tendo sido um dos apoiantes à legislação da SOPA (Stop Online Piracy Act) e a PIPA (Protect IP Act), que falharam a serem adotados pelas leis americanas.

“Em nome da MPAA e dos seus membros, damos as boas-vindas à Netflix como membro”, destaca o CEO do grupo Charlie Rivkin, salientando que todos os seus membros estão comprometidos a puxar a indústria do cinema e televisão para a frente, seja na forma de contar histórias ou alcançar novas audiências, algo que a plataforma digital poderá ajudar.

O anúncio foi apenas a “cereja no topo do bolo”, pois ontem a Netflix foi reconhecida pela Academia dos Óscares, recebendo 15 nomeações dos seus projetos, incluindo o melhor filme, Roma. Um marco importante para a tecnológica, quando ao seu lado viu a Fox com 20 indicações, e a Universal e Disney com 17 nomeações cada. Para ter uma ideia, desde 2014, a Netflix somava apenas 14 nomeações, mas nenhuma para melhor filme, tendo vencido até agora apenas dois Óscares.

Ainda assim, as nomeações para o principal galardão do cinema ficaram marcadas por algumas surpresas inesperadas, tais como a indicação de O Pantera Negra para o melhor filme, marcando a primeira vez que um filme de super-heróis assume a categoria. A mesma gerou já reações, tendo sido realçado que Batman: The Dark Knight foi ignorado pela Academia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.