Os resultados do primeiro semestre fiscal do Grupo Portugal Telecom, apresentados ontem depois do fecho das bolsas, mostram o impacto da redução das receitas consolidadas dos negócios da rede fixas, com perdas de 5,6%, mas também da desvalorização do real. No total do semestre, a Portugal Telecom registou receitas de exploração de 2.725 milhões de euros, numa quebra de 4,5% em relação aos números apresentados para o mesmo período do ano de 2002.



Os resultados líquidos do Grupo PT reflectem uma quebra de 29,1% em relação ao primeiro semestre de 2002 e de 30 por cento quando comprados com os lucros apresentados no primeiro trimestre deste ano. De acordo com o comunicado da PT, se fosse excluído "o impactos dos custos relativos ao programa de redução de pessoal, o resultado consolidado líquido teria sido de 330 milhões de Euros, representando um aumento de 53,7% em relação a igual período do ano anterior".



Segundo os resultados auditados, o Grupo PT continua a crescer em número de clientes total, atingindo no final do primeiro semestre do ano os 29,4 milhões de clientes, uma subida de 25,4% face a igual período do ano anterior. O aumento foi dinamizado sobretudo pela área de negócios móveis, em Portugal e Brasil, mas também pelos serviços de banda larga, onde os clientes de cabo e ADSL cresceram 167 por cento em relação ao semestre homólogo de 2002.



Ainda assim, a PT defronta-se com uma redução generalizada da receita média por cliente (ARPU) em quase todos os negócios em relação ao primeiro semestre de 2002. Na rede fixa essa quebra foi de 4,4 por cento, situando-se actualmente a receita média em 32,5 euros, enquanto nos serviços móveis da TMN a diminuição foi mais acentuada (de 8,7%) para os 24,7 euros por mês. A PT atribui esta quebra às medidas de reduções de 24,3% nos preços de interligação móvel-móvel e 13,8% no fixo-móvel, para além dos menores níveis de utilização.



Também no serviço móvel brasileiro Vivo a quebra de ARPU se fez sentir, situando-se neste semestre em 39,5 reais contra 41,1 no semestre homólogo. Contrariando esta tendência, o nível de receita média mensal dos clientes de televisão por cabo da PT Multimédia aumentou 11,4% para os 23,4 euros, dinamizada pelos serviços premium, que incluem o Netcabo.



A PT incluiu ainda no comunicado dos resultados algumas referências aos meses de Julho e Agosto, após terminado o semestre fiscal, indicando ter reduzido a dívida líquida em resultado da "clara focalização da maximização do cash flow e na apertada politica financeira no que respeita ao Capex e fundo de maneio, bem como na melhoria do EBITDA da Vivo, TMN e PTM".



Algumas melhorias sentidas dos resultados operacionais na TMN e PTM levam o Grupo PT a remetê-las para os sinais de recuperação económica, mas salientando também o impacto positivo no Grupo da nova estratégia de reinvenção do negócio fixo, nomeadamente através da venda de 263 mil pacotes de preços foram vendidos, dos quais 103 mil durante os meses de Julho e Agosto.

Notícias Relacionadas:

2003-04-30 - Lucros da Portugal Telecom caem mas PT Multimédia chega a terreno positivo

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.