Mobilidade a toda a prova

Se há um conceito tecnológico que "pegou" durante o ano de 2003 foi certamente o doa mobilidade, em geral, e o do Wi-Fi em particular. Embora a tecnologia não seja nova, o empenho revelado pelos pesos pesados da indústria informática e de telecomunicações tornaram esta tecnologia numa nova buzword, dinamizando a disponibilização de equipamento de acesso e a criação de redes wireless lan privadas e públicas.
Um factor chave para esta dinamização do Wi-Fi foi sem dúvida o lançamento em Março da tecnologia Centrino, adoptada como standard pela maioria dos grandes fabricantes de portáteis.

O conceito foi desenhado de raiz pela Intel a pensar na computação móvel e garante aos utilizadores uma maior poupança de energia sem sacrificar o desempenho da máquina e proporcionando ao mesmo tempo a possibilidade de integração de componentes que se encaixa em modelos mais pequenos e leves.

A integração nesta plataforma da tecnologia Wi-Fi para comunicação de rede wireless veio fomentar o desenvolvimento de uma série de iniciativas de criação de redes Wi-Fi um pouco por todo o mundo, sendo muitas delas promovidas pela própria Intel e os seus parceiros.

Para além dos fabricantes de equipamento informático e de redes de comunicações, o interesse dos operadores de comunicações móveis nesta tecnologia é evidente. A maioria encara o Wi-Fi como um complemento ideal para a comunicação de dados em mobilidade, enquanto a tecnologia de terceira geração móvel não se torna uma realidade, mas não afasta a hipótese de no futuro as duas formas de aceder com largura de banda elevada à Internet venham a coexistir.

Em Portugal vários projectos mostraram o potencial do Wi-Fi, desde iniciativas das operadoras móveis ao projecto estruturante da UMIC para o Ensino Superior, designado e-U - Campus Virtuais. Este projecto está a desenvolver nas Universidades e Institutos superiores uma rede Wi-Fi que permite aos alunos aceder à Internet em situação de mobilidade, complementando esta infra-estrutura com a dinamização da colocação de conteúdos das escolas online e com a promoção de vantagens para a aquisição de computadores portáteis.

Do lado das operadoras móveis só a Optimus se mantém ainda afastada da tecnologia Wi-Fi. A Vodafone foi a primeira a avançar com a sua estratégia em Outubro, seguindo-se o Grupo PT em Dezembro. Somando as expectativas das duas operadoras durante o ano de 2004 teremos em Portugal centenas de hotspots para acesso Wi-Fi, mas que pelo menos numa primeira fase não garantirão roaming de clientes.



2003-03-10 - Europa com mais de 30 mil hotspots até 2007

2003-03-12 - Intel reforça aposta no conceito de mobilidade através do Centrino

2003-05-29 - Intel mostra vantagens de tecnologia Wi-Fi nas "Docas Wireless"

2003-10-08 - Vodafone reforça mobilidade de profissionais com estratégia WLAN

2003-11-10 - Parque Expo inicia projecto Wi-Fi no Parque das Nações

2003-11-19 - 13º Congresso APDC - Casanova admite que Optimus não vai avançar no Wi-Fi

2003-12-05 - PT avança com estratégia transversal para o Wi-Fi


CeBIT afectada pela crise

Num ano em que as dificuldades dos sectores de informática e telecomunicações se mantêm, a principal feira da área foi naturalmente afectada, com menos novidades, menos expositores e um menor espaço de exposição. O mesmo acabou por acontecer um pouco em todos os principais eventos da área, já que há poucas inovações para apresentar e reduzido número de negócios a realizar.

Em Portugal, e embora reunindo pela primeira vez a antiga Inforpor e Expotelecom. a chamada "Feira da Convergência", que se realizou em Outubro, acabou também por ser abalada pelos mesmos factores, à escala do país, naturalmente.

2003-03-12 - Cebit 2003 a remar contra a maré do desânimo

2003-05-12 - Certame e Expolíder juntas na "feira da convergência"

2003-10-23 - Inforpor2003/Expotelecom - Feira da Convergência dá prioridade a eGovernment




Linux sob ataque legal

Foi ainda em Março que a SCO instaurou uma acção legal contra a IBM acusando a gigante de informática de se ter apropriado de uma forma incorrecta e não autorizada da sua tecnologia Unix e de a ter incorporado no Linux. A empresa, anteriormente designada Caldera, enfrentava à data uma grave crise financeira e exigiu à IBM uma indemnização superior a mil milhões de dólares por violação dos direitos de autor do Unix, que havia adquirido à Novell.

Transformando-se numa autêntica novela, o "caso Linux vs Unix" não se ficou por aqui, tendo a SCO aumentado o pedido de indemnização à IBM para três mil milhões de dólares em Junho e prosseguido a sua cruzada contra as empresas que utilizam o sistema operativo open source. A SCO iniciou um processo de licenciamento de Unix que alegadamente livrará as empresas da ameaça legal, sendo que a Microsoft e a Sun já aderiram a este programa, pagando para usar os direitos de propriedade intelectual nas suas aplicações.

Ainda no mês de Dezembro a SCO voltou a enviar cartas a empresas que utilizam Linux ameaçando-as de um processo legal caso não adiram a este programa de licenciamento.


2003-03-07 - SCO processa IBM por alegada apropriação não autorizada de tecnologia Unix

2003-05-19 - Microsoft licencia código Unix a SCO

2003-05-15 - SCO ameaça empresas de implicação em processo sobre direitos de Unix

2003-06-17 - SCO aumenta indemnização a pagar pela IBM para três mil milhões de dólares

2003-07-11 - Sun alarga acordo com SCO para licenciamento de Unix

2003-12-22 - SCO avisa utilizadores empresarias de Linux pela segunda vez


Licença de Televisão Digital terrestre revogada

Depois de um adiamento de 6 meses decidido em meados do ano de 2002 pelo ministro da Economia na sequência de uma recomendação da Anacom, e face ao não cumprimento do prazo então determinado, a Autoridade Nacional de Comunicações comunicou em Março ter proposto ao Governo a revogação da licença concedida à Plataforma de Televisão Digital Terrestre (PTDP) do Grupo Pereira Coutinho. este consórcio obteve a licença em concurso em 2001 e integrava a SGC, RTP e SIC.

Em comunicado enviado à imprensa, a Anacom explica que esta deliberação foi tomada após a avaliação do "estado de desenvolvimento do projecto de exploração da Plataforma de Televisão Digital Terrestre para Portugal". Isto, apesar de reconhecer "dificuldades objectivas da oferta massificada dos equipamentos terminais necessários ao início da exploração comercial da referida plataforma".

Uma nova data para retribuição da licença não foi ainda definida, nem o modelo através do qual poderá voltar a ser explorada esta tecnologia, mas em declarações a alguns órgãos de comunicação social em Outubro, Álvaro Dâmaso, presidente da Anacom, admitiu como possível que a TDT entrasse em funcionamento ainda durante o ano de 2004.

2003-03-13 - Anacom propõe revogação da licença de Televisão Digital Terrestre da PTDP

2003-10-16 - Álvaro Dâmaso prevê início da TDT para daqui a um ano

Voltar ao texto principal
2003 - O ano da espera

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.