A possibilidade é avançada pela própria Sonaecom no prospeto na operação que arranca hoje e que permite aos acionistas da empresa venderem as suas participações ao grupo, tendo como contrapartida ações na Zon Optimus, ou em troca de dinheiro, caso os títulos da Zon Optimus não cheguem para cobrir a procura. A operação dirige-se aos 24,16% da Sonaecom não detidos pelo grupo.



Explica a Sonaecom que o nível de aceitação da oferta poderá diminuir a dispersão da ação pelo público e a liquidez do título, que situação que a Sonaecom pondera caso a operação a coloque na posse de mais de 90% do capital.



"Não é possível garantir que a Sonaecom se mantenha admitida à negociação, ou que se mantenha a negociar com níveis de liquidez comparáveis aos atuais, ou que mantenha a atual qualidade de sociedade aberta", antecipa o grupo.



Aí também se garante que ainda não há qualquer decisão tomada sobre o assunto. Também se assegura que não foi ponderada nenhuma operação de fusão com outras empresas do grupo.



A Sonaecom é composta pela WeDo Technologies, Mainroad, Bizdirect e Saphety. A Optimus fazia parte do mesmo universo, mas a fusão com a Zon alterou esse cenário.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.