A Sony, através de um comunicado, veio desmentir os relatos que davam conta do interesse que a empresa teria numa joint-venture com a Lenovo no segmento dos computadores pessoais. A empresa de Tóquio afirmou que vai continuar a encarar várias opções na área dos PCs, mas que a parceria com a Lenovo não corresponde à verdade.

Os rumores ganharam fulgor depois de a Lenovo ter tido uma semana titânica: comprou a divisão de servidores de gama baixa da IBM e comprou a Motorola à Google. No total a empresa chinesa gastou mais de cinco mil milhões de dólares em aquisições a duas das maiores tecnológicas do mundo.

A Lenovo é atualmente a maior fabricante de computadores e também está a crescer de forma significativa no mercado dos dispositivos móveis.

De acordo com as informações divulgadas anteriormente, as alegadas conversas entre a Sony e a Lenovo focavam-se na gama de computadores Vaio, uma área onde a gigante japonesa não tem conseguido resultados satisfatórios ao longo dos últimos trimestres.

No início de dezembro de 2013 a Sony reforçou a presença no mercado português com novos modelos de computadores portáteis e de dispositivos híbridos, reforçando na altura que a ideia não era conseguir quota de mercado, mas sim fabricar equipamentos com características únicas e que promovam a imagem da empresa.

A Sony deve apresentar os resultados financeiros do último trimestre de 2013 ainda durante esta semana, e prevê-se que o negócio dos PCs fique no "vermelho" e seja apenas uma sombra de outras divisões que estão a crescer como a dos dispositivos móveis e dos videojogos.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.