A ANACOM continua a sua "peregrinação" pelo país para fazer o levantamento dos problemas sentidos pelas autarquias em matéria das comunicações. A entidade reguladora pretende saber quem (e porque razão) é que não está a usufruir do serviço de televisão digital terrestre (TDT) e tem feito o levantamento, de porta em porta, nas casas dos portugueses, que permita realizar um diagnóstico e encontrar soluções para as famílias terem acesso ao serviço gratuito.

Nas reuniões que tem feito com a Associação Nacional de Municípios Portugueses, e recentemente com a autarquia de Terras de Bouro, em Braga, foram apontados diversos problemas relativos à ausência de cobertura de redes móveis e internet de alta velocidade, a fraca receção de TDT e também o contínuo encerramento dos postos de correios.

A ANACOM salienta o esforço e importância da cobertura do país, mesmo as zonas mais remotas, com redes de fibra ótica. O regulador defende que o acesso à tecnologia é um elemento fundamental para evitar a desertificação do país, assim como a importância de promover a coesão do território.

“De rua a rua, casa em casa”: Anacom quer saber quem ainda não tem serviço TDT
“De rua a rua, casa em casa”: Anacom quer saber quem ainda não tem serviço TDT
Ver artigo

De recordar que o presidente da entidade reguladora das comunicações, João Cadete de Matos, quer ver resolvidos em definitivo todos os problemas de receção de TDT em Portugal, antes que a migração para a quinta geração de redes móveis aconteça. A ANACOM tem alertado para a necessidade de partilha de infraestruturas, para que as redes e serviços possam chegar a todos os locais, mesmo aos que têm fraca densidade populacional, já que o retorno do investimento será mais difícil. Nesse sentido, os operadores móveis deverão estabelecer acordos de roaming que funcionem para além das situações de emergência.

Anacom quer problemas da TDT resolvidos antes da migração para o 5G
Anacom quer problemas da TDT resolvidos antes da migração para o 5G
Ver artigo

A ANACOM refere que se deve aproveitar a migração associada à libertação da faixa dos 700 MHz, que suporta a TDT, para melhorar as condições de receção do sinal, permitindo o acesso ao serviço gratuito de televisão digital terrestre que substituiu a emissão analógica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.