O presidente da Comissão Federal das Comunicações dos EUA (FCC), Ajit Pai, esteve esta quinta-feira reunido com responsáveis do Governo português para abordar questões relativas à segurança no 5G e partilhar a sua visão – e receios – sobre o tema.

Com a deslocação a Lisboa, a comitiva norte-americana quis "entender a visão do Governo português” sobre as futuras redes móveis, assim como “partilhar perspetivas”, afirmou o responsável pela entidade reguladora, durante um encontro com jornalistas na embaixada dos Estados Unidos.

Estados Unidos levam Huawei a tribunal por fraude e espionagem indústrial
Estados Unidos levam Huawei a tribunal por fraude e espionagem indústrial
Ver artigo

Aquilo que especificamente foi falado no encontro com os representantes do Governo português não foi revelado, mas na conferência de imprensa, Ajit Pai e George E. Glass, embaixador norte-americano em Portugal, defenderam a ideia de que a participação chinesa, designadamente da Huawei, "constitui um risco" que Portugal não deve correr, sob pena de criar desconforto no aliado do Atlântico Norte.

"A nossa preocupação é a segurança. E quando olhamos para as relações em termos de segurança com os nossos parceiros da NATO, ... Portugal é um dos nossos aliados mais próximos. Se estivermos a falar de partilha de informação crítica através de redes que, na nossa perspetiva, não nos dão garantias e que não são seguras, penso que isso iria afetar as nossas relações com Portugal", disse o embaixador norte-americano em Lisboa, citado pelo jornal Público, um dos meios de comunicação presentes.

As quezílias dos Estados Unidos com a Huawei são conhecidas. O atual executivo norte-americano tem investido em ligar o nome da mesma ao governo chinês e defende que a marca está a ser utilizada para espiar os grandes nomes da indústria que têm sede nos EUA, reunindo informação com vista à concretização de ciberataques ao país.

Guerra tecnológica: Huawei quer que Estados Unidos provem ameaças à segurança
Guerra tecnológica: Huawei quer que Estados Unidos provem ameaças à segurança
Ver artigo

Depois da filha do fundador da Huawei e CFO ter sido detida em Vancouver os Estados Unidos preparam-se para levar a empresa a tribunal por espionagem industrial.

O clima de suspeição sobre a empresa e os seus produtos estendeu-se a vários países, mas há quem não pretenda aderir à “campanha”, como por exemplo no Reino Unido, onde as autoridades de segurança declararam que o risco que existe com a instalação de redes 5G pode ser gerido, não vendo qualquer impedimento à sua utilização no país.

A Huawei tem sido um dos fornecedores das operadoras de telecomunicações em Portugal, havendo inclusive um acordo entre a Altice e a empresa chinesa, apoiado pelo Executivo português. Sobre a conversa com a comitiva norte-americana, ainda não há reação do Governo de António Costa. O SAPO TEK tentou contactar a Huawei em Portugal para um comentário, mas tal não foi possível.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.