O que pensa da ideia de ter o seu cérebro ligado à Internet, processo através do qual será possível fazer um backup das suas memórias ou recordar determinados acontecimentos de forma tão simples como se estivesse a recorrer a uma fotografia? É mais ou menos este o cenário traçado por Ray Kurzweil, executivo da Google, que prevê que no ano 2030 os cérebros humanos estarão ligados à cloud.

Desta forma haverá aquilo que se chama de inteligência aumentada, um cenário no qual as pessoas conseguem ter mais conhecimentos por estarem ligados a computadores. Os humanos híbridos, como lhes chama Kurzweil, funcionarão com base numa mistura de processamento biológio e não-biológico.

O diretor de engenharia da Google diz que o cérebro estará ligado à Internet através de nanobots, pequenos robots que serão compostos por pequenos “fios” de ADN.

“Na minha perspetiva, esta é a natureza do ser humano - nós transcendemos as nossas limitações”, disse o executivo citado pela CNN.

E para os que pensam que esta é apenas uma previsão radical sobre como pode ser o futuro, vale a pena recordar que Ray Kurzweil tem historial de “adivinho”: na década de 1990 o engenheiro fez 147 previsões do que iria existir a nível tecnológico em 2009, sendo que 87% das suas previsões estavam corretas.

Ray Kurzweil previu por exemplo que as pessoas usariam maioritariamente computadores portáteis, que os fios perderiam uma grande importância nos equipamentos e que existiriam óculos equipados com ecrãs.

O agora diretor de engenharia da Google também estimava que em 2009 existiriam carros de condução autónoma, mas esta previsão não está errada, apenas parece estar “atrasada”.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.