A empresa anunciou que vai ceder a exploração comercial e a utilização de 2.113 torres de telecomunicações e áreas de implementação destas infraestruturas. Também divulgou a assinatura de um acordo para a venda da participação na Brasil Telecom Cabos Submarinos e respetivas subsidiárias internacionais.



As empresas em questão exploram uma rede de cabos submarinos de fibra ótica composta por dois anéis e 22 mil quilómetros de fibra, que servem o Brasil, a Colômbia, Venezuela, Estados Unidos e Bermudas.



A Oi vende a participação aí detida mas garante o fornecimento de capacidade, num acordo de longo prazo com preços e volume garantidos, explica a informação disponibilizada.



A operação deverá render à operadora cerca de 1,7 mil milhões de reais. Já o acordo de exploração assinado com a BTG Pactual para a exploração de torres vai render 686,7 milhões de reais e liberta a empresa de custos de operação e manutenção da infraestrutura.



Os negócios assinalam alterações na estratégia da companhia que há cerca de um mês passou a ser gerida por Zeinal Bava, que assumiu a presidência executiva, cargo que abandonou na Portugal Telecom.



Em Portugal continua a ser o presidente da Portugal Telecom que mantém uma posição próxima dos 25% na operadora brasileira, que no futuro podem alterar-se para uma fusão entre as duas empresas, acreditam alguns analistas.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.