A Agência Espacial Europeia (ESA) lançou, a partir da Guiana Francesa, mais quatro satélites Galileo, sistema que vai permitir que utilizadores em todo o mundo conheçam a sua posição exata, no tempo e no espaço, com grande precisão e confiabilidade, ou seja, com um desvio máximo de um metro.

A bordo seguiu um sistema operativo criado pela portuguesa Edisoft - Empresa de Serviços e Desenvolvimento de Software e que gere todas as funcionalidades de cada um dos satélites, o RTEMS (Real-Time Executive for Military Systems).

Acompanhe em direto: ESA coloca em órbita 4 novos satélites do sistema Galileo
Acompanhe em direto: ESA coloca em órbita 4 novos satélites do sistema Galileo
Ver artigo

O lançamento foi feito pelo foguetão Ariane 5 e acompanhado pela empresa, que colabora com a ESA desde 2006, a partir da base em Santa Maria, nos  Açores e que explicou, em comunicado que “face ao posicionamento geoestratégico no Atlântico e ao horizonte visível, a antena efetua o seguimento da trajetória na fase ascendente do lançador Ariane 5, desde a sua entrada no horizonte visível até ao voo sobre a Europa”.

Português dá nome a satélite do GPS europeu
Português dá nome a satélite do GPS europeu
Ver artigo

O programa Galileo, com um orçamento global superior a 10 mil milhões de euros, foi lançado em 1999 pela União Europeia e deverá estar completamente operacional em 2020, mas todos os carros novos vendidos na Europa em 2018 terão instalado o sistema para navegação e chamadas de emergência.

 

Aqui pode acompanhar de perto os dispositivos compatíveis com o Galileo que servem uma variedade de necessidades à medida que são disponibilizados.

Se não conseguiu assistir ao lançamento de ontem, espreite o vídeo abaixo.

Nota da redação: Corrigida uma gralha apontada pelos nossos leitores.