A implementação do 5G já chegou à Coreia do Sul e está a ser feita gradualmente noutros territórios, à semelhança do Reino Unido. Em Portugal, a sua chegada está um pouco atrasada, prevendo-se apenas no verão de 2020. No entanto, há empresas que já pensam na sexta geração de redes móveis. A Huawei, por exemplo, indica que já pôs em prática o desenvolvimento de redes 6G. Segundo Ren Zhengfei, CEO da fabricante chinesa, a tecnologia ainda está numa fase muito inicial, mas poderá chegar daqui a 10 anos, avança a imprensa chinesa.

Segundo as declarações de Ren Zhengfei as redes móveis 6G usam altas frequências e um espectro amplo e, para já, a cobertura é muito fraca. O CEO da Huawei considera que o período de desenvolvimento de uma década até à sua implementação inicial é uma “estimativa conservadora”.

A aposta da fabricante chinesa na geração de redes móveis que sucederá ao 5G começou a ser conhecida este ano. Em entrevista ao The Economist, no início de setembro, Ren Zhengfei deu a conhecer a visão da empresa em relação à tecnologia. “Considero que a Huawei irá liderar no que toca à pesquisa em 6G, no entanto estimamos que o seu uso comercial só começará daqui a pelo menos uma década”, declarou o fundador da empresa.

A 26 de setembro o CEO da Huawei acrescentou, em entrevista à CNBC, que a empresa estava já a trabalhar simultaneamente em 5G e 6G. Embora indique que ainda há “um longo caminho a percorrer”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.