A Motorola anunciou a disponibilidade para o mercado português de três terminais de terceira geração. Embora o serviço não esteja para já disponível em Portugal, a filial portuguesa do fabricante norte-americano garante estar em condições de fornecer terminais aos operadores, assim que estiverem reunidas as condições técnicas e comerciais para o fazer. O A835, A830 e o A920 estão já disponíveis no mercado inglês e italiano através da operadora móvel 3, que opera exclusivamente em 3G.

Mário Serafim, country manager da empresa, não adiantou pormenores das negociações com os operadores locais, garantindo apenas que a operadora estará em condições para o fazer assim que o mercado exigir. Recorde-se que o regulador das comunicações, Anacom, recusou os argumentos dos três operadores que invocaram novo adiamento do arranque do serviço decidindo por um lançamento faseado no início de 2004, conforme estava previsto.

Mário Serafim acredita que o grande boom da tecnologia terá início no próximo ano, uma sensibilidade que fundamenta com o número de encomendas registado pela Motorola para a Europa - cujo valor concreto não especifica - mas sublinha que o volume de vendas dependerá da agressividade dos operadores que poderão optar por subsidiar terminais, ou não.

De qualquer forma, a Motorola planeia aumentar a facturação em Portugal, consequência do seu portofólio, embora não aponte valores concretos. A fabricante não aponta preços de comercialização para o mercado português, garantindo apenas que numa primeira fase os seus terminais apenas estarão disponíveis através de operador e só posteriormente no mercado livre.

A Motorola montou na cidade do Porto uma infra-estrutura de rede UMTS para testar o funcionamento dos seus aparelhos, em colaboração com a Optimus, que funciona na baixa da cidade. "Trata-se de uma decisão da casa-mãe, que escolheu Portugal para realizar testes de compatibilidade", explicou o responsável durante uma apresentação na cidade.

Ao nível da interoperabilidade, a Motorola aproveitou para explicar que os testes de rede, que tem desenvolvido com outros fabricantes estão praticamente concluídos admitindo que há ainda algum caminho a percorrer no que respeita aos testes a efectuar com os diferentes operadores.

Notícias Relacionadas:

2003-11-20- 13º Congresso da APDC - Anacom confirma que UMTS não será adiado
2003-11-19 - 13º Congresso APDC - Operadores reiteram necessidade de adiar UMTS mas equacionam lançamento experimental

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.