Como é habitual todos os anos, a Anacom tem partilhado dados sobre os serviços de telecomunicações em Portugal no ano passado, entre os quais sobre a Internet ou a fibra ótica. Num ano em que o número de assinantes de pacotes de serviços 4P e 5P aumentou para 186 mil, também os clientes com subscrições de TV cresceu, neste caso em 3,7% em relação a 2018,

Em comunicado, a Autoridade Nacional de Comunicações explica que o "crescimento do serviço de televisão paga deveu-se exclusivamente às ofertas suportadas em fibra ótica", em alta também no acesso à Internet em banda larga fixa. Em 2019 verificou-se um aumento de 285 mil assinantes de serviços de televisão em relação ao ano anterior, o que se traduz num crescimento de 17,5%.

Pacotes de serviços 4P e 5P já têm peso de 62,9% nas ofertas. Receitas aumentam quase 5%
Pacotes de serviços 4P e 5P já têm peso de 62,9% nas ofertas. Receitas aumentam quase 5%
Ver artigo

Desde o primeiro trimestre de 2018, a principal forma de acesso ao serviço de televisão por subscrição, a fibra ótica, chegava a cerca de 1,9 milhões de assinantes no final de 2019, o que corresponde a 46,9% no total. Segue-se a TV por cabo, com cerca de 1,3 milhões de assinantes (32,7%), a tecnologia de satélite (DTH) com 464 mil (11,4%), e o ADSL, que registou 370 mil clientes (9,1%).

Os valores positivos da fibra ótica contrastam, no entanto, com as restantes tecnologias. O ADSL registou menos 93 mil assinantes e o DTH uma redução de 34 mil assinantes. Já no caso da distribuição de TV por Cabo assistiu-se a uma diminuição de 10 mil assinantes.

NOS é a operadora com a maior quota de assinantes de TV

40,1% de assinantes de serviços de TV eram em 2019 clientes da NOS, seguida do MEO, que registou 39,6% da quota. Em terceiro e quarto lugar surgem a Vodafone e a NOWO, com 16,3% e 3,9%. No entanto, foram a Vodafone e a MEO que, em termos líquidos, mais assinantes captaram em relação a 2018, tendo as suas quotas aumentado 1,1 e 0,4 pontos percentuais, respetivamente. Por outro lado, as quotas do Grupo NOS (menos 1,1 pontos percentuais) e da NOWO (menos 0,4 pontos percentuais) diminuíram em 2019.

Em 2019 a Anacom divulgou ainda outros dados sobre os serviços de telecomunicações no país, entre os quais relativos à Internet de alta velocidade e ao tráfego de acesso à Internet em banda larga móvel. A entidade reguladora confirmou ainda a maior redução registada desde 2015 nos minutos que os portugueses passaram no telefone fixo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.