A Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos autorizou a utilização do sinal GNSS, conhecido como Galileo, como complemento ao GPS. Isto significa que quando começar a operar, o que está previsto para 2020, os utilizadores americanos podem utilizar o sistema europeu de navegação que será mais rápido e eficaz, avança o regulador.

A FCC salienta a importância do novo sistema tecnológico de navegação na economia dos Estados Unidos, sobretudo nas indústrias automóvel, aviação, linha férrea, marítima e agricultura. O sistema promete reduzir acidentes e ajudar nas respostas de emergência, entre outras vantagens nas infraestruturas do país, refere o responsável da reguladora ao Engadget.

Video: os novos satélites do Galileo já estão em órbita. Veja como chegaram à nova "casa"
Video: os novos satélites do Galileo já estão em órbita. Veja como chegaram à nova "casa"
Ver artigo

Devido ao acordo entre a União Europeia e os Estados de 2004, os sistemas GPS e Galileo têm radiofrequências compatíveis e são interoperáveis, bastando aos fabricantes de smartphones fazerem uma atualização no software para permitir a comutação das duas bandas. Para já vai ser possível utilizar duas frequências do Galileo, o sinal E1 (1559-1591 MHz) e o E5 (1164-1219 MHz).

O orçamento do programa Galileo ascendeu aos 10 mil milhões de euros, desde o lançamento em 1999, num cofinanciamento entre a ESA e a Comissão Europeia. Apesar de estar completamente operacional em 2020, todos os novos carros vendidos na Europa a partir deste ano já terão instalados o sistema para navegação e chamadas de emergência.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.