O primeiro Tech Institute da Samsung em Portugal nasceu há cerca de um ano e está instalado no CINEL. Até final do ano terá contribuído para a formação de cerca de 200 pessoas em tecnologias Samsung, adianta Conceição Matos, diretora do centro, que faz um balanço muito positivo da parceria.


O laboratório foi recentemente destacado num evento em Bruxelas por um responsável internacional da Samsung, já que Portugal foi o único dos 12 países onde a Samsung investiu, a aproveitar o investimento da fabricante para atualizar a oferta formativa e complementar os currículos dos cursos de informática.


A iniciativa foi do CINEL - Centro de Formação Profissional da Indústria Eletrónica, Energia, Telecomunicações e Tecnologias de Informação, que propôs à Agência Nacional para a Qualificação e Ensino Superior a criação de duas novas unidades de formação de curta duração, entretanto aprovadas e criadas.


As novas unidades de smartphones e Smart TV foram integradas em todos os cursos do CINEL na área da eletrónica, como componentes obrigatórias, e passaram a figurar do catálogo nacional de formação. Isto significa que passou a estar disponível um referencial de formação para as duas novas unidades que qualquer escola pode agora adaptar e incluir nos seus cursos, se tiver condições técnicas para o fazer.


A criação destes Tech Institutes em centros de formação é uma de duas componentes de um programa europeu da Samsung, que está focada no desenvolvimento de competências técnicas em jovens com idades entre os 18 e os 25 anos.


O TeK apurou que muito em breve a fabricante, novamente em parceria com o IEFP, vai anunciar a criação de mais dois centros do género, uma informação que o porta-voz da companhia confirma, sem dar detalhes relativamente à localização. Sabe-se no entanto que os centros estarão ficados nas mesmas áreas: tecnologias Samsung para smartphones, smart Tvs e Android.


Investimento em smart schools também vai aumentar

Uma segunda vertente desta iniciativa da Samsung para a educação está direcionada a alunos do ensino básico e secundário e foi batizada como Smart School. Aqui a fabricante propõe-se equipar salas de aula com tablets e quadros interativos, ligando aos equipamentos uma solução proprietária da Samsung, que em Portugal é alimentada pelos conteúdos da Leya.


A primeira Smart School foi anunciada há um ano e está em São João da Talha. Uma parceria com a Fundação Gulbenkian permite criar mais três este ano, que serão lançadas em breve. Vão localizar-se em Ponte de Sor, Vendas Novas e Vidigueira.



Nota de redação: Corrigida uma gralha por indicação de um leitor

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.