Um grupo de investigadores europeus e israelitas liderado pelo Instituto de Telecomunicações de Aveiro e financiado pela Comissão Europeia, está a desenvolver uma plataforma de telecomunicações para terminais em movimento, através da combinação de duas redes sem fios.



O projecto denomina-se Scalable, Ultra-fast and Interoperable Interactive Television (SUIT) e conta com a colaboração de institutos de investigação, universidades e fabricantes de vários países, entre os quais Bélgica, Espanha, França, Inglaterra, Portugal, Alemanha e Israel.



Para elaborar a plataforma, os investigadores pretendem juntar as redes sem fios da televisão digital terrestre com as redes WiMAX. Através desta sinergia será possível obter imagens de alta definição a uma velocidade máxima de 200 Km por hora, que favoreça uma grande mobilidade, e com uma qualidade quatro vezes superior à actual.



António Navarro, professor da Universidade de Aveiro e coordenador deste projecto, refere que a plataforma de telecomunicações para terminais móveis "é compatível com dispositivos de bolso móveis ligados à rede DVB - T/H e à rede WiMAX no seu perfil de mobilidade".



O funcionamento da mesma decorre "em bandas diferentes", uma de televisão (UHF, 800 MHz) e outra em WiMAX (2,5 GHz ou 3,5 GHz), sendo possível "combiná-las no domínio da rádio frequência através de duas antenas de recepção [...] mas também através de técnicas sofisticadas na banda base, resultando assim numa alta definição de imagens em terminais SUIT", refere o coordenador.



A acompanhar esta combinação de redes deverá ser instalado um playout nos emissores de conteúdos como a RTP, SIC ou TVI que, com base num controlo baseado num algoritmo desenvolvido no projecto, permitirá ao sistema a leitura do sinal das duas antenas no terminal SUIT, "seleccionando a rede com melhor sinal para enviar os conteúdos de televisão, explica António Navarro.



Estas combinações permitirão a utilização de duas estações base que, através das características diferentes das suas ondas electromagnéticas, permitirão uma oferta, simultaneamente, independente e complementar. Um dos exemplos desta dualidade é, como explica António Navarro, a possibilidade de um utilizador se colocar "por detrás de um prédio que deixou de ter linha de vista com a antena emissão de televisão DVB. Como a antena de emissão WiMAX está colocada num local oposto nós recebemos através desta segunda antena o sinal".



Esta é uma técnica inovadora na Europa que pode trazer ganhos comerciais significativos, através da convergência entre o Broadcaster (DVB-T/H) e o Telecom Operator (WiMAX-IEEE16e), já que "vai permitir ter apenas um overhead de 20 por cento", graças à "técnica de descrições múltiplas", explica o responsável.



No futuro, espera-se que o WiMAX e o DVB-T/H venham a cobrir as áreas metropolitanas enquanto que nas zonas rurais, a cobertura será assegurada apenas pela rede DVB-T/H. A versatilidade do sistema permitirá que qualquer terminal receba o sinal da emissão, independentemente da sua resolução, e possibilita ainda o acesso à Internet e ao vídeo on demand e outros novos serviços até aqui impossíveis de difundir por limitações tecnológicas.



Financiado em 5 milhões de euros pela Comissão Europeia, este projecto teve os primeiros resultados nos testes de campo realizados no Campus da UA, em Julho e em Novembro de 2007. Espera-se agora que a plataforma se torne uma realidade em Abril deste ano.



Notícias Relacionadas:

2007-11-29 - Comissão Europeia escolhe DVB-H como standard para mobile TV

2006-07-17 - Vodafone quer realização de novo concurso para a TDT ainda este ano

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.