Em pleno contexto de pandemia, o serviço de televisão paga ganhou, no primeiro trimestre de 2020, 160 mil novos clientes, contabilizando no final de março 1,4 milhões de assinantes. Os dados são da ANACOM, que garante que este é o maior "crescimento anual em termos absolutos verificado desde 2016". A Nos continua a ser o prestador com maior quota de mercado mas ficou agora abaixo dos 40%, enquanto a MEO e a Vodafone foram as operadoras que captaram mais assinantes neste período.

Nos primeiros três meses do ano, 89% das famílias eram clientes do serviço de televisão paga. Isto significa um aumento de três pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano passado. Mas a que se deve o crescimento do serviço?

Em comunicado, a ANACOM explica que a razão se deve às ofertas suportadas em fibra ótica (FTTH), que registaram mais 217 mil assinantes em relação ao período homólogo. Estes valores representam um aumento de 15,9%, para 2 milhões de clientes.

"O crescimento registado contribuiu para que a fibra continue a ser a principal forma de acesso a este serviço, com 48% do total de assinantes", explica a Autoridade Nacional de Comunicações. A segunda tecnologia mais utilizada para aceder ao serviço é o cabo, com 1,3 milhões de clientes, e que representa 32,2% dos assinantes.

Segue-se o DTH (direct to home), que tem 11,2% dos assinantes do serviço, em quebra de 4,7% para 462 mil e o serviço ADSL, com 8,5% dos assinantes. Neste caso, registou-se uma redução de 19,7% do número de clientes, para 351 mil.

Utilização do telemóvel aumenta no primeiro trimestre de 2020. Duração das chamadas atinge “máximo histórico”
Utilização do telemóvel aumenta no primeiro trimestre de 2020. Duração das chamadas atinge “máximo histórico”
Ver artigo

No primeiro trimestre de 2020, a tendência de queda da tendência de queda do número de assinantes de DTH, que se regista desde 2016, abrandou. Neste período o número de assinantes de DTH diminuiu 4,7% quando há uma ano tinha caído 9,1%. Pelo menos um prestador registou mesmo um aumento do número de assinantes desta tecnologia, com estes valores a poderem terem sido influenciados pelo estado de emergência associado à COVID-19 que entrou em vigor no dia 19 de março.

Da mesma forma, o número de acessos ADSL ficou ligeiramente acima do intervalo de previsão resultante da evolução histórica recente, explica a ANACOM. "Esta evolução poderá também ter sido influenciada pelo estado de emergência", garante.

NOS lidera na quota de assinantes

Nos primeiros três meses do ano, a NOS foi o prestador com a quota mais elevadabde assinantes do serviço de distribuição de sinais de TV por subscrição, 39,9%. No entanto, ficou pela primeira vez abaixo dos 40%. Seguem-se a MEO (39,7%), Vodafone (16,5%) e NOWO (3,7%).

De notar, no entanto, que, em termos líquidos, foram a Vodafone e a MEO mais assinantes captaram face ao trimestre homólogo, tendo as suas quotas aumentado um ponto percentual e e 0,3 pontos, respetivamente. Por outro lado, diminuíram as quotas do Grupo NOS, em 0,9 pontos, e da NOWO, em 0,3 pontos.

Nota da Redação: Foi feita uma correção ao texto no primeiro parágrafo. Última atualização 17h37

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.