A estratégia da Novabase para a área da TDT, onde a empresa tem competências no desenvolvimento de boxes e de soluções, foi motivo de uma pequena entrevista por email ao presidente da empresa, Rogério Carapuça.

No mesmo dia em que a Novabase apresenta os resultados de um concurso de design de set-top-boxes com os alunos do IADE, o presidente da empresa explica as expectativas para esta área e as oportunidades que se criam com o desenvolvimento da Televisão Digital Terrestre.

[caption]Rogério Carapuça[/caption]TeK - A Novabase esteve na linha da frente no desenvolvimento de set top boxes para a TV interactiva, há alguns anos atrás. Quais as vossas expectativas em relação à TDT?


Rogério Carapuça -
A TDT, juntamente que as Redes de Telecomunicações de Nova Geração constituem uma grande oportunidade para Portugal. Não só no que respeita à prestação de novos serviços de TV, Internet de Banda Larga e Telefone, mas também como projecto industrial. Existem todas as competências em Portugal para que tal se consiga: Produtores de fibra, Instaladores, Engenharia de Concepção e Fabricantes de alguns equipamentos, Produtores de Set-Top-Boxes, Industriais de Moldes e Plásticos, Designers, Operadores de Telecomunicações e Produtores de Conteúdos.
No caso das Boxes, a Novabase procurará fazer o seu papel, com o seu novo posicionamento na área de TV Digital, fornecendo conhecimento, propriedade intelectual e serviços, deixando a outros parceiros a componente de fabrico.

TeK - Acredita que conseguirão ter set top boxes a preços competitivos para colocar no mercado concorrendo com grandes players internacionais?

R.C -
Sim.


TeK - Sem querer falar em proteccionismo, pensa que deveria existir alguma preferência para o desenvolvimento "made in" Portugal?
R.C. -
Mais do que isso, existe a oportunidade de criar toda uma fileira industrial à volta deste tema. Foram oportunidades deste tipo que foram aproveitadas por outros países, até mais pequenos do que Portugal. E em tempos de crise, é que importante termos uma oportunidade como esta! Trata-se aqui de uma iniciativa que, pela sua abrangência, implica a criação muitos produtos e serviços. È uma gigantesca oportunidade industrial e de serviços para Portugal.

TeK - A oferta da Novabase centrar-se-á em boxes com e sem capacidade de gravação?

R.C -
Caberá aos operadores de telecomunicações definir as características dos produtos que querem comprar. Pelo nosso lado já foram amplamente demonstradas as capacidades de criar equipamentos com essa e outras funcionalidades. Mas não fornecemos apenas a propriedade intelectual para a criação de boxes. Fornecemos um leque muito vasto de competências para ajudar os operadores a criar as suas ofertas.

TeK - Estas boxes poderão ser vendidas a nível internacional? Têm projectos nesse sentido?
R.C. -
Provavelmente não exactamente as mesmas, pois cada operador define as características que quer, mas esta capacidade industrial, da Novabase e de outros, pode claramente ser exportada.

TeK - Qual é o peso actual da área de set top boxes na Novabase e qual a vossa expectativa de crescimento para os próximos 3 a 5 anos com a introdução da TDT?
R.C. -
Os números da área de TV Digital da Novabase em 2008 foram divulgados no nosso comunicado de divulgação de resultados em Fevereiro passado. Quanto ao futuro não divulgamos esses números, área a área.

Fátima Caçador

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.