As guerras mudaram e passam-se agora cada vez mais no espaço digital, onde as identidades dos cidadão, os seus dados mas também os serviços básicos estão cada vez mais presentes, e vulneráveis.

A ideia não é nova e há várias iniciativas que pretendem garantir uma maior consciencialização para o tema, e uma colaboração global para proteger o que é mais importante.

No palco do Web Summit Brad Smith defendeu a “paz tecnológica” que é essencial para o avanço da tecnologia. O presidente da Microsoft acredita que no futuro a tecnologia vai curar doenças como cancro, mas até lá muitos novos perigos irão imergir, como ataques às redes elétricas ou manipulação de eleições. “Estes são os problemas atuais da humanidade. Há 6,5 triliões de sinais diariamente e o que se vê é que as ferramentas que se têm criado para ajudar as pessoas, têm sido transformadas em armas", destacou.

Todos temos de trabalhar em conjunto, como cidadãos digitais, e pedir aos líderes mundiais para criar as condições para garantir a segurança e evitar uma ciberguerra, e é para isso que foi criada a petição Demand Digital Peace. Qualquer um pode assinar e juntar-se a este movimento pela paz que quer mudar o Mundo.

A iniciativa conta com a assinatura da Microsoft e o apoio de várias instituições, entre as quais a ICT for Peace Foundation.

Nota da Redação: Foi feita uma correção no artigo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.