Continuamos a lançar smartphones neste mercado, não vamos abandonar o segmento”, afirmou William Tian em resposta aos jornalistas numa conferência após a apresentação dos novos equipamentos a marca, em Milão. “Somos líderes em tecnologia, na conetividade e nas câmaras e acabámos de lançar o Mate XS 2 para a Europa”, acrescentou o responsável da área de consumo da empresa na Europa.

A Huawei tem vindo a perder posição no mercado de smartphones depois do bloqueio comercial dos Estados Unidos ter impedido o acesso a tecnologia norte americana, incluindo os serviços Google e chipsets 5G. Depois de ter chegado a número 2 global e de atingir a liderança de vendas em alguns mercados, a empresa deixou de figurar no top 5 fora da China, e nos últimos anos a incerteza sobre o futuro desacelerou o lançamento de novos equipamentos, enquanto a empresa afinou a estratégia para se focar em áreas paralelas, como os wearables, portáteis, monitores e outros equipamentos ligados na área do IoT.

Agora o investimento nos smartphones está a ser recuperado. No início do ano a Huawei lançou o P50 e P50 Pocket, um dobrável mais pequeno, e agora avançou com o Mate XS 2, uma versão revista e otimizada do Mate XS. William Tian diz que na China o Mate XS 2 foi mais bem recebido do que era esperado e as primeiras unidades esgotaram rapidamente, explicando que a estratégia agora é lançar no mercado europeu de forma faseada, país a país, começando pela Alemanha já no início de Julho. Os próximos países ainda não foram definidos mas William Tian admite que Portugal também está na lista.

Veja as imagens do Huawei Mate XS 2

Questionado pelo SAPO TEK sobre o preço de 2.000 euros para um smartphone que não tem 5G, William Tian defendeu que “não é barato, mas tem tecnologia avançada e o preço justifica-se”, sublinhado o facto de ser mais fino e leve, e com um ecrã que é contínuo, sem os vincos que têm afetado as gerações anteriores de dobráveis. “As ligações são muito rápidas, mesmo sem 5G, com a combinação do Wi-Fi e do 4G” e o responsável pela área de consumo garante que o facto de não ter a mais recente tecnologia móvel não é uma preocupação.

Os dobráveis vão continuar a ser um dos focos da Huawei e o responsável para a Europa lembrou que a marca foi a primeira avançar com um equipamento que se desdobra para um ecrã de maior dimensão e que com o XS 2 inovou na qualidade do display, mas que vai continuar a investir nesta área.

O funcionamento do Mate XS 2 está bem detalhado neste vídeo

Os novos relógios inteligentes Watch GT 3 Pro e Fit 2 estiveram também em destaque na conferência, onde a Huawei destacou a aposta forte que está a ser feita nesta área, onde reconhecem uma procura elevada por parte dos consumidores que querem dispositivos mais eficientes em termos de bateria, com melhores sensores e conteúdos personalizados para apoio ao treino desportivo e também à nutrição e vida saudável. O design é uma das preocupações e a marca lança nos novos modelos materiais mais premium, como titânio e cerâmica.

Em termos de conteúdos a aplicação com subscrição, Huawei Saúde +, está a ser testada em Itália e na Alemanha e Andreas Zimmer, responsável de produto, diz que a ideia é ir alargando o número de países onde a app está disponível, mas que isso tem de ser feito de forma faseada, já que é preciso adaptar os conteúdos à língua, com as instruções por voz e a informação sobre os mais de 100 treinos disponíveis.

Em Portugal, Jiandong Xue, diretor da área de consumo para o mercado português, explica que a ideia é lançar o Mate XS 2 no mercado nacional quando for possível. “Para nós Portugal é um mercado premium”, sublinhou num encontro com jornalistas. Ainda assim, não há data para a venda dos novos modelos dobráveis.

Veja as imagens da apresentação da Huawei em Milão

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.