Depois de ter passado por Vénus em agosto, a sonda BepiColombo da ESA/JAXA está a caminho de Mercúrio, o seu destino final. A sonda prepara-se para fazer a sua primeira aproximação do planeta, no dia 1 de outubro, naquela que é a primeira de seis “espreitadelas” previstas antes da missão entrar em órbita em 2025.

A sonda vai aproximar-se a uma altitude de 200 quilómetros, com o objetivo de captar imagens e dados científicos que permitirá aos investigadores antecipar o que está para vir na missão principal. A ESA explica que a missão é composta por duas sondas científicas que vão circular em órbitas complementares em torno de Mercúrio, a Mercury Planetary Orbiter da ESA e a Mercury Magnetospheric Orbiter da JAXA, que serão enviadas pelo Mercury Transfer Module em 2025.

tek bepicolombo

O objetivo é estudar todos os aspetos do planeta, desde o seu núcleo à superfície, o campo magnético e a sua exosfera, de forma a compreender a origem e evolução do planeta próximo do Sol.

Já o aventureiro BepiColombo tem previsto nove voos de proximidade, um na Terra, dois em Vénus e por fim os seis previstos para Mercúrio. A sonda utiliza um sistema de propulsão elétrico alimentado por energia solar, que ajudará a navegar pela órbita de Mercúrio. A ESA explica que os voos gravitacionais requerem uma extrema precisão de navegação no espaço profundo para funcionar, para garantir uma trajetória de aproximação correta.

E os cálculos necessitam ser afinados ao longo da viagem. A ESA disse mesmo que uma semana depois do último voo de aproximação no dia 10 de agosto, o BepiColombo recebeu indicações para executar uma manobra de correção de orientação para a sua viagem a Mercúrio. Neste momento, a sonda encontra-se a mais de 100 milhões de quilómetros da Terra, com a luz a demorar cerca de seis minutos a alcançá-lo. E espera-se mais manobras de correção no futuro, mesmo com toda a precisão dos instrumentos a partir da base da Terra.

Veja na galeria imagens do BepiColombo

A ESA disse que durante a aproximação é impossível captar imagens de alta resolução, através da câmara científica principal, devido ao seu escudo, enquanto a nave está na configuração de cruzeiro. Mas duas das três câmaras do BepiColombo vão captar fotos cerca de cinco minutos depois da sua aproximação e até quatro horas depois. A sonda vai aproximar-se no lado do planeta embrulhado pela noite, o que dificulta a captação de imagens na sua aproximação. Estima-se que as fotos mais próximas sejam captadas a cerca de 1.000 quilómetros da superfície.

A primeira foto será descarregada cerca de 30 minutos depois da primeira aproximação, e deverá ficar disponível publicamente no sábado. Espera-se que as imagens mais próximas possibilitem identificar as grandes crateras na superfície do planeta, que se assemelha à Lua, com uma estimativa de existência de 4,6 mil milhões de anos. Nesse sentido, a análise e mapeamento de Mercúrios será uma das prioridades da investigação.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.