Em 2019, o rover que a Agência Espacial Norte-Americana planeia enviar para o Planeta Vermelho na missão Mars 2020 ganhou pernas e rodas, um braço até um helicóptero. Depois de ter treinado os “moves” para a futura viagem de exploração, o veículo robótico passou no seu primeiro teste de condução no Jet Propulsion Lab Laboratory em Passadena, Califórnia.

De acordo com a NASA, o autómato conseguiu superar de forma bem-sucedida as diversas provas que lhe foram apresentadas, “conduzindo” durante uma autêntica maratona de 10 horas. “O teste prova inequivocamente que o rover consegue operar sob o seu próprio peso, demonstrando muitas das suas funcionalidades de navegação autónoma pela primeira vez”, indicou Rich Rieber, engenheiro de sistemas de mobilidade da NASA, citado em comunicado. “Este é um marco histórico para a missão Mars 2020”.

Cientistas da NASA observam o primeiro "teste de condução" do rover (©NASA)

Uma vez que os sistemas do veículo conseguiram desempenhar as suas funções em condições terrestres, os especialistas preveem que o futuro “teste de condução” em Marte será também bem-sucedido, tendo em conta que a sua gravidade é muito mais forte do que a terrestre. Para levar a cabo a sua missão o rover terá de percorrer muito caminho: exatamente 200 metros por dia marciano.

A NASA afirma que o rover está totalmente equipado para tomar mais decisões do que os seus antecessores. Entre os diversos “apretrechos” que possui encontram-se câmaras de alta-resolução com um amplo campo de visão, um computador para processar imagens e gerar mapas, assim como software de auto-navegação.

Destino da próxima “viagem” a Marte pode revelar se o planeta já teve vida
Destino da próxima “viagem” a Marte pode revelar se o planeta já teve vida
Ver artigo

A próxima vez que o rover vai pôr em prática as suas competências enquanto condutor será já no Planeta Vermelho.  O lançamento do rover Mars 2020 da NASA está previsto para julho do próximo ano, na Estação da Força Aérea do Cabo Canaveral, na Flórida, e, se tudo correr bem, aterrará na cratera Jezero em fevereiro de 2021. O veículo autónomo recolherá amostras, caracterizará o clima e geologia marciana e até procurará por sinais de organismos microbianos, tudo isto para preparar o caminho para futuras missões humanas ao planeta.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.