Durante esse período de tempo vai poder ver "uma sombra com uma superfície arredondada a entrar pela Lua e esta vai ficar escura". A explicação é dada à Agência Lusa, por Rui Agostinho, professor na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

De acordo com o astrónomo é pelas 22h31 que "o eclipse estará no máximo da sua parcialidade", terminando à 1h20 de quarta-feira. Nesse momento a Terra vai deixar de fazer sombra no seu satélite natural.

"Duas vezes por ano, a Lua passa nessa zona de sombra", perdendo a iluminação do Sol, explicou o astrónomo.

No Centro de Interpretação Ambiental da Pedra e do Sal, no Estoril, concelho de Cascais, vai haver uma sessão aberta ao público de observação do eclipse com recurso a telescópios. Mais a norte do país, o Planetário do Porto, Centro de Ciência Viva e Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço vão organizar uma sessão de observação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.