Nota de redação: O lançamento da missão Artemis acabou por ser cancelado devido a uma fuga de combustível num dos motores do foguetão SLS. As próximas janelas de lançamento ocorrem nos dias 2 e 5 de setembro.

O lançamento da Artemis I está marcado para hoje, dia 29 de agosto, e a janela de oportunidade de lançamento do foguetão abre às 13h22 de Lisboa, 8h33 na Flórida, no Cabo Canaveral, onde o foguetão SLS já está à espera na plataforma 39B desde dia 17 de agosto com a nave Orion a bordo. O lançamento pode acontecer no espaço de duas horas e o SAPO TEK vai estar a acompanhar em direto.

Até agora todos os sinais são verdes do lado da equipa da NASA que prepara a missão e tem acompanhado o longo percurso para voltar a levar astronautas à Lua, o que não acontece desde dezembro de 1972, quando Harrison Schmitt se tornou o último Homem no satélite natural da Terra.

Ontem foram feitos testes adicionais depois de uma tempestade de relâmpagos, mas os engenheiros confirmaram que não afetou a nave.

O que segue a bordo da Artemis I?

O foguetão SLS da NASA tem a bordo a nave Orion que nesta fase segue sem tripulantes. A nave já fez o primeiro voo de teste à volta da Terra em 2014 e deverá ser usada nas próximas fases da missão, e em 2025 quando transportará os primeiros astronautas a regressar à Lua em mais de 50 anos.

Veja as imagens da Artemis I

Vão ser ainda transportados a bordo dez pequenos satélites científicos que serão largados no espaço e que vão estudar os efeitos da radiação, um asteroide ou a superfície gelada da Lua.

O Homem partiu para a Lua há 51 anos. Recorde o "grande salto para a Humanidade"
O Homem partiu para a Lua há 51 anos. Recorde o "grande salto para a Humanidade"
Ver artigo

A Orion já fez um primeiro voo de teste à volta da Terra em 2014 e tem também como carga lascas de rochas lunares, recolhidas pelos primeiros astronautas a pisarem a Lua em julho de 1969, Neil Armstrong e Buzz Aldrin.

Sentados nos lugares dos astronautas seguem três manequins. O que está na posição de comandante foi batizado como Moonikin “Campos” e conta com sensores para medir os efeitos da aceleração e vibração.

Os outros dois, duas "mulheres", são feitos de materiais que imitam os ossos ou órgãos humanos. Um destes dois manequins vai vestido com um fato antirradiação e haverá instrumentos para medir as taxas de radiação recebidas a bordo.

O kit oficial de voo tem ainda uma série de elementos, e dois passageiros especiais, escolhidos para acompanhar a missão, os peluches da Ovelha Choné, que é uma mascote da ESA, e do Snoopy de Charles M. Schulz, que vai servir de sinal de orientação para teste de microgravidade. Há ainda uma réplica 3D da deusa grega Artemis, sementes e uma pedra do Mar Morto, entre mais de 180 elementos fornecidos por várias agências espaciais e escolhidos em concursos que envolveram alunos e outras organizações.

De sementes e bandeiras a peluches e um parafuso especial: Os “souvenirs” que a NASA leva na Artemis I

42 dias, 3 horas e 20 minutos para um teste à capacidade de voltar à Lua

O lançamento da missão Artemis I já teve alguns revezes e foi adiado, mas agora parece ter luz verde. O novo foguetão da NASA chegou à plataforma de lançamento em 17 de agosto e todos os testes foram completados com sucesso.

A descolagem está prevista para hoje, 29 de agosto, numa janela de tempo de lançamento que tem início às 8h33 na Flórida, 13h33 em Portugal, no espaço de duas horas de intervalo para que a rota definida possa ser concretizada. Se a descolagem prevista para hoje for abortada existem mais duas datas possíveis, a 2 e 5 de setembro.

Se o lançamento for bem-sucedido, e depois de circundar a Terra, o foguetão dará o derradeiro impulso que posicionará a Orion na trajetória da Lua, aproximadamente hora e meia depois da descolagem. Um módulo da Agência Espacial Europeia, ESA, irá direcionar a Orion ao seu destino e de regresso a casa, e no futuro é responsável por fazer o controle das condições de vida dos astronautas, com luz, água, oxigénio, nitrogénio e controlo de temperatura.

Missão Artemis I
Representação da nave Orion

A viagem até à Lua dura cerca de quatro dias e a Orion vai estar a cerca de meio milhão de quilómetros da Terra. A Estação Espacial Internacional, onde vivem e trabalham astronautas em permanência há mais de 20 anos, está aproximadamente a 400 quilómetros.

A primeira missão Artemis (Artemis I) tem a duração total de cerca de mês e meio e a nave Orion vai voar em redor da Lua, depois de se separar do foguetão SLS, durante algumas semanas antes de regressar à Terra e amarar no oceano Pacífico.

Como se prepara uma missão a Marte? NASA revela lista de tarefas essenciais para transformar sonho em realidade
Como se prepara uma missão a Marte? NASA revela lista de tarefas essenciais para transformar sonho em realidade
Ver artigo

A missão vai ter uma duração total de 42 dias, 3 horas e 20 minutos. Nesse período a Orion vai orbitar a Lua a cerca de 100 quilómetros acima da superfície e depois usará a força gravitacional do satélite natural para fazer uma nova órbita, mais profunda, a cerca de 70 mil quilómetros.

A Orion vai permanecer nesta órbita durante cerca de seis dias, para recolher dados e para que os controladores da missão possam avaliar o seu desempenho, numa órbita que é feita  na direção oposta à que a Lua orbita a Terra.

Se tudo correr bem, o calendário das missões Artemis vai continuar e está definido com o regresso de astronautas à Lua em 2025, com a missão Artemis III. Depois será a vez da conquista de Marte, que também está nos planos da NASA.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.