A Huawei Portugal apresentou o seu novo Huawei Matebook X Pro, um portátil profissional para utilizadores mais exigentes. No mesmo dia, a empresa oficializou a parceria com a Porto Editora, juntando-se assim ao programa de ensino Escola Virtual, com a preparação de bundles que incluem tablets e computadores direcionados a alunos desde o primeiro ao 12º ano de escolaridade.

O SAPO TEK teve oportunidade de falar com Tiago Flores, responsável pelo mercado de consumo da Huawei em Portugal sobre o novo computador, a parceria com a Porto Editora, mas claro sobre um dos assuntos do momento, que continuam a dar dores de cabeça aos executivos da empresa chinesa. A mais recente ordem executiva de Donald Trump poderia colocar em causa a atualização dos equipamentos da Huawei, mas Tiago Flores assegura que isso não vai acontecer.

“Sem entrar em comentários políticos, tanto os smartphones como os PCs, a Huawei continua a ser, e será, uma marca que tem demonstrado que continua a investir em tecnologia para continuar a endereçar o seu ecossistema digital. Todos os nossos smartphones e os nossos PCs vão continuar a ter as atualizações e os respetivos upgrades das diversas fabricantes que integram a nossa tecnologia. Temos esse compromisso com os consumidores, não é diferente dos smartphones, e obviamente não é diferente nos PCs”, esclarecendo que vão continuar a desenvolver o portefólio de computadores com os seus parceiros.

Sobre o seu sistema operativo, sendo a Microsoft uma das principais parceiras da Huawei, todos os upgrades estarão assegurados através da plataforma do Windows, “tal como no caso dos smartphones todos os updates de security patch e também de software são assegurados pela Huawei através do EMUI próprio. O consumidor pode ficar completamente descansado que terá todo o suporte de assistência da Huawei e todos os produtos atualizados”, salienta Tiago Flores.

Recentemente a Huawei lançou em diversas regiões e países no mundo o seu GameCenter, uma plataforma de distribuição de jogos, aliado a um sistema de recompensas pela sua atualização. Tiago Flores reconhece a importância da plataforma no ecossistema integrado do Huawei Mobile Services, destacando que os Huawei Members podem aceder aos seus conteúdos em armazenamento na cloud, acesso ao Huawei Music, salientando que estão a fazer esforços para lançar em Portugal o Huawei Video e o GameCenter. “Ainda não temos datas para estes dois últimos, mas estamos a fazer os esforços que conseguimos neste momento para lançar esses serviços tão importantes no nosso território. Em breve iremos anunciar novidades”, salienta.

"Todos os nossos smartphones e os nossos PCs vão continuar a ter as atualizações e os respetivos upgrades das diversas fabricantes que integram a nossa tecnologia"

Sobre o novo portátil Mate X Pro, Tiago Flores não consegue destacar uma característica diferenciadora sem falar em todo o conjunto de tecnologias que a fabricante introduziu. Salienta o ecrã tátil de 3K que suporta muita resolução, e tem as características necessárias para os profissionais mais exigentes “on the go”, como a compatibilidade 100% de sRGB. Além disso, tem proteção especial, garantida pela Corny Gorilla Glass.

Salienta ainda no ecrã, tal como alguns modelos da série D, a captação de imagem com a passagem de três dedos, semelhante aos smartphones da marca. O sistema de captação de screenshots permite acumular imagens automaticamente numa pasta designada, o que torna muito útil para capturar slides ou outros elementos do ecrã de forma rápida. Destaca ainda que, mais que um simples “print screen”, a tecnologia da Huawei permite o reconhecimento de caracteres de toda a imagem, que é reservado num bloco de notas à parte, podendo depois ser gravado para um documento, por exemplo.

Refere também que o Huawei Share é, para este ano, o maior destaque, considerando que o sistema de partilha está a ganhar adeptos. Um smartphone emparelhado ao PC funciona de forma bidirecional, não só a sua capacidade de espelhar o ecrã, como também usar o drag and drop de ficheiros. Por fim, Tiago Flores realça que as especificações de hardware são de topo, nomeadamente o SSD de 1 TB, os 16 GB de RAM, assim como um Intel i7 de 10ª geração para um ultrabook abaixo dos 2.000 euros.

Aumento de portefólio como suporte à transformação digital

Fazendo um balanço nos últimos dois anos desde o lançamento dos seus computadores, Tiago Flores refere que no ano passado colocou no mercado, de forma “insípida”, ou seja, uma oferta pouco alargada de modelos, mas salienta que durante 2020 tem essa oportunidade. “O que faltava à Huawei em Portugal era introduzir, de forma consistente, um portefólio nos diferentes segmentos de preço”, reforçando que começou no início do ano com o lançamento de uma nova série D, “robusta no que diz respeito ao hardware e o próprio design, que foram melhorados. E conseguimos, de forma sustentada, fazer crescer este portefólio, com variantes dentro de cada segmento, assim como vários preços”.

A marca conta com seis modelos diferentes, que permite à empresa ter um portefólio determinante para uma marca de PCs estar presente em qualquer mercado. “Até ao final do ano iremos aumentar esse portefólio até mais 50% do que oferecemos para abraçar novos tipos de consumidores e preços, para que cada vez mais sejamos uma opção para o consumidor”. Tiago Flores salienta que os consumidores conhecem bem a marca e a sua tecnologia, graças à sua taxa de penetração no mercado nacional de smartphones, e quer aproveitar essa vantagem para cativar clientes para os computadores. A Huawei refere mesmo que nos últimos dois meses colocou os seus MateBook D sempre em Top 10 em Portugal, com vendas significativas. Infelizmente Tiago Flores não pôde partilhar a sua quota do mercado de computadores no país.

tek escola virtual
A Huawei e a Porto Editora fizeram uma parceria para a Escola Virtual, com a tecnológica a oferecer assinaturas de um ano nos seus bundles de equipamento.

Considerando que nos últimos meses o mercado de computadores teve uma “explosão” de procura, devido ao teletrabalho e também ao ensino em casa, a Huawei também tem vindo a beneficiar dessa “procura anormal de computadores, o que é igual para todos. Dentro deste contexto a Huawei foi muito feliz porque introduziu os seus equipamentos numa altura crítica, mas também os outros o fizeram, creio que a nossa proposta de valor vai de encontro aos nossos consumidores, reforçando a nossa campanha de regresso às aulas”.

Nesse sentido, foi lançado esta semana a parceria com a Porto Editora para a Escola Virtual, num reforço de tablets e computadores, em que a fabricante espera aumentar a sua quota de mercado. Tiago Flores refere que a empresa, como marca, promete ao mercado um ecossistema digital cada vez mais inteligente e mais inclusivo. E por isso tinha a ambição como marca alargar esse ecossistema à transformação digital dos conteúdos “neste tema tão vasto e importante que é a educação”.

Toda esta situação pandémica veio acelerar a estratégia da empresa e a discussão em torno deste tema, assim como a decisão de promover ativamente esta solução. A preocupação da Huawei é ter uma oferta para cada ano escolar que os alunos se encontrem, “e através desta oferta adereçar às famílias portuguesas que têm necessidades distintas”. Por isso, para famílias que tenham crianças nos primeiros anos escolares não necessitam dos computadores, existem tablets mais acessíveis que podem ser uma opção.

“Olhámos para a plataforma da Escola Virtual da Porto Editora e notámos que todos os conteúdos são completamente distintos dependendo do ano em que os alunos se encontram”, o que inspirou a empresa a ajustar a sua oferta. “Existe o estigma de que todos os alunos necessitam de um PC, mas isso não é bem verdade, porque para os estudantes nos primeiros anos de escolaridade os tablets podem ser melhores porque os conteúdos estão adaptados a essa escolaridade e há elementos como o trabalhar da motricidade fina, que apenas é possível num tablet”.

"O gaming é de facto um segmento de crescimento e nós estamos atentos a todos os segmentos do mercado"

A Huawei refere que esta campanha da Escola Virtual tem uma duração a coincidir com o regresso às aulas, mas promete mais novidades para breve. Mesmo as eventuais necessidades do governo em reforçar os equipamentos nas escolas, a fabricante está sempre disponível para apoiar onde for necessário, mas considerando a proximidade da data do começo das aulas a 14 de setembro, avançou já com esta primeira iniciativa, seguindo o seu próprio caminho com os seus parceiros, sejam operadores ou retalhistas, mesmo antes de qualquer iniciativa governamental.

Apesar de um crescimento do seu portefólio nos diversos segmentos do mercado, existe um que a Huawei até agora não falou: o gaming…”Temos como ambição, nos últimos dois, três anos, aumentar o nosso portefólio digital, quer seja os smartphones, wearables, tablets e também os PCs. Sem dúvida que estamos a trabalhar para trazer no próximo ano novos segmentos do mercado na área de PC. O gaming é de facto um segmento de crescimento e nós estamos atentos a todos os segmentos do mercado”, refere Tiago Flores a sugerir que talvez no próximo ano possam haver novidades da marca sobre o tema gaming.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.