http://imgs.sapo.pt/gfx/378474.gif

O novo tipo de computadores ultraportáteis foi, até ao momento, uma das grande novidades da CeBIT deste ano, tendo dois fabricantes conhecidos apresentado já modelos a funcionar: a Samsung com o seu Q1 e a Asus com o R2. Denominados Ultra Mobile Personal Computers - UMPC -, assentam numa nova plataforma de hardware desenvolvida pela Intel e na versão para Tablet PC do sistema operativo Windows XP, a que a Microsoft acrescentou uma "camada" de interface para permitir ao utilizador usar os dedos directamente sobre o ecrã.




Havia já algum tempo que crescia a expectativa quanto ao nome de código "Origami", sobretudo desde que Bill Gates exprimira publicamente um apelo aos fabricantes de computadores para que criassem um novo formato de PC. Este deveria ser maior que os de bolso mas mais pequeno que os portáteis, para que os utilizadores pudessem mais facilmente levá-los consigo para todo o lado, e que não precisasse de rato nem de teclado.




Ora a Microsoft, com um software agora anunciado - o Touch Pack -, garante a outra face dos requisitos: um interface gráfico com todos os recursos do Windows XP para Tablet PC, que inclui, portanto, o uso de um ecrã táctil. Só que, com o Touch Pack, o utilizador pode usar os polegares para accionar sucessivos grupos de comandos (a começar pelo teclado), que se "arrumam" junto aos cantos inferiores do ecrã, tirando partido da posição em que se pega num UMPC, encaixando ambos os lados nas palmas das mãos.




A Intel, por seu lado, desenvolveu um chipset específico para o novo formato de PC, assente nos seus novos processadores Centrino e Celeron de mais baixa potência eléctrica de sempre (5 Watt). Estes compensam a menor voltagem do "motor" e mantêm elevados níveis de desempenho graças à arquitectura de dois núcleos de processamento que a Intel introduziu nos seus novos chips.



Aliás, na apresentação, hoje, do Samsung Q1, Christian Morales, vice-presidente da Intel para a Europa, mostrou-se confiante em que a sua empresa conseguirá reduzir até dez vezes a potência eléctrica dos seus processadores ao longo dos próximos anos, o que se traduzirá numa série de grandes vantagens: menor consumo de energia (permitindo baterias mais pequenas e com maior autonomia) e menor geração de calor, tudo conduzindo a computadores mais leves e mais pequenos.



Três fabricantes mostram já os seus UMPC na CeBIT: além da Samsung e da Asus, também a Founder, uma quase desconhecida empresa chinesa. Mas é o Q1, da Samsung, o mais sofisticado e aquele que melhor ilustra as potencialidades do novo formato de PC. O Q1 pesa apenas 779 gramas, assenta num Celeron M ULV, o ecrã tem diagonal de 7 polegadas (17,5 cm), traz 512 MB de memória e um disco de 40 GB, e a bateria dá para cerca de três horas e meia.



Na parte de cima, entre outros conectores - para TV digital, GPS, etc. -, o Q1 dispõe de um para rede Ethernet mas, lá dentro, tem recursos para ligações sem fios Wi-Fi e Bluetooth. E embora não seja necessário teclado, se o utilizador quiser usá-lo numa mesa, poderá recorrer a um teclado opcional com ligação sem fios por Bluetooth. O Q1 deverá estar à venda em Abril, a preços entre os 600 e os mil dólares.



Rui Jorge Cruz em Hanover (Alemanha)




Nota da Redacção: [2006-03-10 18:29] O texto foi corrigido no último parágrafo onde erradamente se fazia referência à tecnologia GPRS em vez de GPS. Pedimos desculpa aos nossos leitores.

Notícias Relacionadas:

2006-03-08 - Intel revela tecnologias para a mobilidade e "personalização" da Internet

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.