Terminou hoje o Fórum Mundial das Políticas de Telecomunicações, que Lisboa acolheu durante a semana. Ao longo do evento os 800 delegados inscritos tiveram acesso a portáteis Magalhães, que lhes permitiram aceder à informação que ia sendo produzida e evitar a impressão em papel desses documentos.

Os equipamentos usados pelos especialistas serão agora doados a crianças carenciadas de países em vias de desenvolvimento, no âmbito de um acordo assinado entre o Governo e a União Internacional das Telecomunicações, que organizou o encontro. O acordo materializa-se no Programa E-School International e tem como objectivo contribuir para a diminuição do fosso digital.

Em comunicado, o Governo explica ainda que graças à utilização do portátil foi possível evitar a impressão de 750 mil páginas e a emissão de 4,7 toneladas de CO2. A utilização do Magalhães representou um consumo energético de 384 Kw.

De acordo com Paulo Campos, secretário de Estado Adjunto das Obras Públicas e das Comunicações e presidente do Fórum da UIT em Lisboa, esta emissão de CO2 corresponde à de um veículo a andar numa estrada durante 18 meses.

À margem da conferência Paulo Campos realçou a importância de este ser o primeiro Fórum mundial da UIT sem papel e a contribuição que o Magalhães teve neste domínio. O destino que a UIT agora dará aos portáteis utilizados no fórum vai servir para reduzir a info-exclusão, sendo a organização das telecomunicações quem decisirá em que zonas será implementado o Programa E-School International.

Nota da Redacção: A notícia foi actualizada com mais informação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.