Foram longos meses de votações e negociações, mas os apoiantes da neutralidade da rede perderam todos os “combates” para as grandes empresas de telecomunicações e serviços online nos Estados Unidos. A partir de hoje empresas como a Comcast, Verizon e AT&T têm agora legitimidade legal para controlar a velocidade do tráfego das suas redes ou bloquear o acesso a sites e serviços de acordo com a suas estratégias comerciais – ainda que tenham de informar os seus clientes dos respetivos atos.

A polémica centra-se na possibilidade de as operadoras venderem pacotes premium com o acesso a determinados sites de internet em detrimento de outros, ou limitar a velocidade de acesso aos que quiserem discriminar. Até aqui, a neutralidade da rede nos Estados Unidos estava protegida por uma regulação em vigor desde 2015, durante o governo de Barack Obama.

Anacom "avisa" operadoras em Portugal que não respeitam neutralidade da internet
Anacom "avisa" operadoras em Portugal que não respeitam neutralidade da internet
Ver artigo

Cerca de 29 Estados americanos continuaram a exercer a neutralidade da rede através de leis locais, tais como Washington, Montana e Nova Iorque, mas que aos poucos terão de mudar devido à lei nacional que agora entra em vigor.

De recordar ainda que as grandes empresas tecnológicas se opuseram à nova lei a favor da neutralidade da rede, incluindo a Netflix, a Google, a Amazon e a Apple, referindo que esta vai condenar os consumidores, a competição e a inovação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.