A Comissão Europeia (CE) está a tomar medidas para dar aos jovens oportunidades para moldarem o futuro da União Europeia e a vingarem nas áreas de transição digital e verde. Mostrando-se preocupada com o impacto da pandemia de COVID-19 no mercado de trabalho, Bruxelas lança o Youth Employment Support, com cerca de, pelo menos, 22 mil milhões de euros destinados ao apoio do emprego de jovens.

O pacote de apoio ao emprego tem por base quatro vertentes. A Comissão criou o Youth Guarantee em 2013 e, desde então, ajudou cerca de 24 milhões de jovens a ingressarem no mercado de trabalho. Uma nova proposta de Bruxelas sobre o programa passa agora a focar-se em jovens vulneráveis em toda a União Europeia, cobrindo pessoas entre os 15 e 29 anos de idade. O objetivo passa por garantir uma maior inclusão.

Bruxelas apresentou ainda uma proposta relativa ao ensino e formação dos profissionais, que pretende tornar os sistemas mais modernos, flexíveis e adequados à economia digital e verde. Uma forma de ensino mais ágil e centrado no aluno irá preparar "os jovens para seus primeiros empregos e dará a mais adultos oportunidades de melhorarem ou mudarem as suas carreiras", refere a CE.

De forma a conseguir ajudar a Comissão a cumprir com a sua missão, a European Alliance for Apprenticeships disponibilizou mais 900.000 oportunidades. A aliança, renovada, irá apoiar pequenas e médias empresas e irá reforçar o envolvimento de parceiros sociais, entre os quais sindicatos e organizações.

Por entre avanços e recuos, Portugal ainda está abaixo da média europeia no desempenho digital
Por entre avanços e recuos, Portugal ainda está abaixo da média europeia no desempenho digital
Ver artigo

Bruxelas anunciou ainda medidas adicionais para apoiar os jovens. O plano inclui incentivos a empregos e startups a curto prazo e centros de formação entre várias empresas a médio prazo.

Em comunicado, o vice-presidente da pasta de Economy that Works for People da CE considera que, em plena pandemia "é mais importante do que nunca ajudar a próxima geração de europeus a prosperarem". "Ao investir na juventude de hoje, ajudaremos a criar um mercado de trabalho competitivo, resiliente e inclusivo para amanhã”, garante.

Ainda recentemente, a Comissão anunciou que quer uma transição verde e digital para a recuperação económica pós COVID-19. Face à pandemia que "invadiu" todo o mundo, e a Europa sem exceção, Bruxelas apresentou em maio uma nova proposta de plano de recuperação para todos os Estados-membros e para as futuras gerações.

Uma das medidas garante apoio financeiro para reformas e investimentos realizados, sobretudo na transição verde e digital. Como objetivo, pretende-se “ajudar a criar postos de trabalho e um crescimento sustentável”, tornando a Europa mais resiliente.

Nota da redação: Foi feita uma correção na notícia

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.