Em novembro, o Youtube atualizou a sua política de serviço, concedendo a si próprio o "poder" de encerrar contas que considere que não estão a ser lucrativas. A decisão foi recebida com descontentamento e revolta, em especial depois de um ano marcado pela luta dos criadores contra as políticas mais opressivas da plataforma.

Não obstante, para alguns criadores, o Youtube continua a ser uma plataforma (muito) rentável. Aliás, os 10 youtubers mais bem pagos deste ano arrecadaram um total de 162 milhões de dólares, avança a Forbes. No topo da lista, pela segunda vez consecutiva, está Ryan Kaji que, com apenas 8 anos de idade, ganhou 26 milhões de dólares com os seus vídeos de “unboxing” de brinquedos. Apesar da sua tenra idade, o jovem não é um “novato” nas andanças do youtube, pois já produz conteúdo para o seu canal, Ryan ToysReview, desde os três anos.

Clique na galeria para ficar a conhecer os Youtubers mais bem pagos de 2019

Para determinar quais foram os criadores mais bem pagos deste ano, a Forbes baseou-se em dados recolhidos de plataformas como Captiv8, SocialBlade e Pollstar. Os valores correspondem às receitas registadas entre um período de análise desde 1 de junho de 2018 a 1 de junho de 2019, sem contar com impostos e encargos com agentes, managers e advogados.

Mas Ryan Kaji não é o único youtuber com menos de 10 anos a figurar a lista dos criadores mais bem pagos. No terceiro lugar do pódio está Anastasia Radzinskaya, de 5 anos, que no ano de 2019 ganhou 18 milhões de dólares. A jovem russa que nasceu com paralisia cerebral tornou-se numa das youtubers mais populares entre o público infantil, contando com um total de 107 milhões de subscritores pelos seus sete canais.

Vêm aí mudanças no YouTube Kids que vão afetar negócios de crianças e famílias
Vêm aí mudanças no YouTube Kids que vão afetar negócios de crianças e famílias
Ver artigo

Embora os canais de youtube tenham ganho popularidade nos últimos anos, tal como revela um estudo de 2019 do Pew Research Center, a plataforma da Google anunciou medidas que admite penalizarem o negócio de muitas famílias e crianças que são criadores de conteúdo. A decisão surge após a Federal Trade Comission ter multado o YouTube num valor entre os 150 a 200 milhões de dólares por alegadamente violar a Lei Federal de Proteção à Privacidade Online para Crianças.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.