O novo relatório da empresa russa de segurança indica que, embora existam cada vez mais redes industriais digitalizadas, muitas empresas enfrentam ainda diversos riscos associados à cibersegurança. De acordo com a Kaspersky, em 2018, metade dos incidentes ocorridos em redes de tecnologia operacional e de sistema de controlo industrial (OT/ICS) tiveram origem em erros dos colaboradores.

Em 2019 a qualificação dos funcionários é um dos desafios que continua a preocupar as empresas questionadas pela Kaspersky. Além de enfrentarem uma escassez de especialistas de cibersegurança, as organizações estão também a lidar com o facto de os operadores de redes OT/ICS não estarem totalmente sensibilizados no que toca aos comportamentos que podem causar falhas de segurança.

Segundo o State of Industrial Cybersecurity 2019 os colaboradores responsáveis pela segurança notaram que mesmo depois de os funcionários terem cumprido com sucesso formações de cibersegurança estes acabam por voltar aos antigos comportamentos de risco num espaço de seis a nove meses.

Para 87% das organizações industriais inquiridas pela Kaspersky a cibersegurança está a tornar-se uma prioridade, no entanto apenas metade das empresas encara esta questão como uma prioridade ao ter um orçamento dedicado à segurança da sua organização.

“O estudo realizado este ano mostra que as empresas estão a tentar melhorar a sua proteção de redes industriais. Porém, isto só pode ser alcançado se elas tiverem em conta a formação dos seus profissionais e os riscos relacionados com os erros humanos”, afirma Georgy Shebuldaev, Brand Manager da empresa de segurança, em comunicado à imprensa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.